RO: Celebração da Grande Revolução Socialista de Outubro reuniu mais de 500 pessoas em Porto Velho

A- A A+

Organizada pelo Grupo de Pesquisa História, Sociedade e Educação no Brasil - HISTEDBR-RO a celebração da Grande Revolução socialista de Outubro em Porto Velho ocorreu em forma de Jornada Acadêmica durante a semana dos dias 11 a 13 de Outubro.

O chamado da Jornada afirmava: “a realização desta Jornada se reveste de grande relevância, sobretudo porque vivemos tempos tormentosos em que o desenvolvimento do capitalismo ocorre com o domínio imperialista. Há uma extrema concentração de capital enquanto milhões de trabalhadores explorados amargam as piores condições de vida e trabalho, condenados ao desemprego, ao trabalho informal, à indigência, à ignorância, à repressão do Estado liberal cada vez mais genocida. As guerras imperialistas contra os povos de todo mundo segue implacavelmente desencadeando todas as formas de violência contra o ser humano e a natureza. Nesse contexto, comemoramos os 100 anos da Revolução Russa que teve e tem um grande significado para o proletariado de todo o mundo. A educação desenvolvida na União Soviética trouxe uma grande contribuição para a educação, tornando-a um instrumento de transformação social e de emancipação humana. Dizia Lênin em seu discurso sobre a instrução pública em 1918: ‘Os trabalhadores aspiram a adquirir conhecimentos, porque os necessitam para triunfar’.” 

A Jornada Acadêmica apresentou estudos e pesquisas realizadas nos últimos anos acerca das politicas educacionais, formação e trabalho docente, psicologia histórico cultural, educação e trabalho, educação integral, etc., articuladas ao ensino e a extensão produzida na região.

O evento iniciou com os presentes de pé, entoando de forma solene, a Internacional, o Hino Oficial do Proletariado do mundo inteiro. Os pontos centrais da programação de celebração foram a mesa de debate sobre a História e a Historiografia da Revolução Russa de 1917 e a mesa de Debate o Marxismo e a Luta de Classes na Atualidade, que contou com a exposição de diversas organizações: a LCP – Liga dos Camponeses Pobres de Rondônia e Amazônia Ocidental, A Liga Operária, o MEPR – Movimento Estudantil Popular Revolucionário, O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra – MST, o MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens e o MOCLATE – Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação.

As intervenções da Mesa sobre História e Historiografia e a Mesa sobre o Marxismo e a Luta de Classes na Atualidade enalteceram e celebraram com júbilo a Grande Revolução de Outubro, o papel de Lênin em defender e aplicar os princípios do Marxismo combatendo todo o oportunismo da II Internacional, enalteceram também, o papel destacado da URSS, sob a direção do Camarada Stalin e do Partido Comunista e seu Exército Vermelho, o sacrifício dos mais de 25 milhões de cidadão que esmagou a besta fascista da Alemanha. As organizações camponesas destacaram suas ações em organizar o campesinato contra o latifúndio, o imperialismo e o Estado burguês-latifundiário a seu serviço saqueiam as riquezas amazônicas deixando um rastro de miséria e destruição, como é o caso da hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira; e as hidrelétricas no Xingu que ameaçam a vida de povos indígenas e ribeirinhos.

A URSS, sob a direção de Stalin e do Partido Comunista, com o Exército Vermelho e o sacrifício de mais de 25 milhões de cidadãos e de milhões de vidas dos povos da Ásia, venceu​ o Estado fascista da Alemanha na Segunda Guerra Imperialista (guerra de rapina mundial), derrotou Hitler e não ficou sequer remédio para suicídio. Stalin dirigiu na guerra a frente antifascista mundial que salvou a URSS, serviu à libertação da Europa e contribuiu à revolução na Ásia e no mundo inteiro. A construção de um partido verdadeiramente revolucionário, a exemplo do que fez Lênin, na Rússia, para vanguardear a revolução brasileira; um partido que prime pela aliança operário-camponesa e que utilize como estratégia cercar a cidade a partir do campo, politizando as massas pobres do campesinato e fazendo avançar a Revolução Agrária, que é parte inseparável de uma Revolução Democrática e Anti-Imperialista, que abrirá caminho à Revolução Socialista e ao Comunismo. As massas brasileiras clamam pelo início desta revolução e os estudantes e intelectuais honestos tem papel destacado em propagandear a Revolução em seus espaços de atuação, reunindo daí os filhos mais destacados do povo, para se somar à luta do proletariado e do campesinato.

O Comitê de Apoio ao AND de Porto velho fez uma brigada e banca com venda de materiais e livros.

tag:

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait