AM: Luta por educação em São Gabriel da Cachoeira

A- A A+

Em evento realizado na Universidade Federal do Amazonas (UFAM) para anúncio da construção do campus em São Gabriel da Cachoeira¹ , professores e estudantes da licenciatura indígena da universidade realizaram protesto denunciando o caráter antipovo da proposta apresentada pela universidade na manhã de quinta-feira 30/11.

Na ocasião, foi divulgada nota de repúdio da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN), onde declaram que “O motivo primeiro de nosso repúdio deve-se à contradição demonstrada na sua programação, uma vez que exclui por completo a já existente proposta de criação do Campus Universitário discutida há anos, pela própria UFAM, com a participação de professores, estudantes, diretores de escolas, lideranças indígenas, instituições governamentais e não governamentais (...)”. Foi destacado também durante o protesto o caráter entreguista da proposta.

Segundo o portal da universidade a proposta apresenta os seguintes temas, Planejamento Estratégico para o Desenvolvimento Regional Autossustentável (Pedras), Presença das Forças Armadas no Alto Rio Negro,entre outros. Ainda que acompanhado de termos como criação de emprego, desenvolvimento sustentável e populações indígenas, a proposta é de fato a tentativa de fornecer aos interesses imperialistas a logística necessária para a exploração da grande quantidade de riqueza mineral e da biodiversidade da região, assim como também manter zonas de controle militar para possíveis conflitos em área de fronteira.

Lembramos que a universidade já participa do convenio Amazonlog que apresenta a falaciosa justificativa de apoio humanitário na tríplice fronteira, mas que na verdade é controle militar do imperialismo americano sobre a região de grande importância econômica, militar e social.

¹ Cidade localizada à 852KM de Manaus, de importância estratégica para controle da fronteira e possuidora de grande riqueza mineral. 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza