Falece o companheiro Fernando Barbosa, grande apoiador das lutas do povo

A- A A+

Fernando Barbosa, grande defensor das lutas do povo


Reproduzimos a seguir a nota da Liga dos Camponeses Pobres do Nordeste (LCP-NE) em razão do falecimento do companheiro Fernando Barbosa.


No dia 06 de dezembro, faleceu, no Recife, o companheiro Fernando Barbosa, vitimado por sepsia. Fernando estava internado desde agosto, quando sofrera um infarto. Nosso companheiro chegou a ter uma surpreendente melhora, saindo do CTI e recuperando a consciência. Nas oportunidades que tivemos de conversar com ele no Hospital, Fernando sempre queria notícias da luta e fazia planos para sua militância quando estivesse recuperado. Desgraçadamente, no mês de novembro, seu quadro foi se agravando e, então, apresentou severos problemas renais, que, somado ao diabetes, dificultaram a cicatrização das escaras, o que resultou em sepsia.

O companheiro Fernando, natural do Recife, foi um ativo militante estudantil, particularmente durante o período de reconstrução da Une no fim do regime militar fascista. No início dos anos 80, se mudou para a União Soviético, onde cursou Engenharia Mecânica na Universidade Amizade dos Povos, situada no sul de Moscou. Após se formar, Fernando constituiu família e por anos seguiu morando na URSS. Desde lá, passa a militar no MR-8. No ano de 1995, Fernando participa ativamente do processo de ruptura com o nacional-reformismo dessa organização. Sua ruptura, entretanto, não foi completa. Após retornar ao Brasil, volta a participar da farsa eleitora, em 1998. Em 1999, ainda dentro do campo de reformismo, Fernando toma uma atitude sincera e coerente ao romper com um tipo de revisionismo que buscava manter uma aparência revolucionária apenas para enganar a juventude. Nesse período, Fernando assume a atitude de um reformista sincero e comprometido com as lutas do povo.

Foi nessa época, em 2007, que Fernando passou, cada vez mais, a ser um forte apoiador da LCP. Atuando como assessor parlamentar, o companheiro Fernando conseguiu articular a realização de uma Assembleia Pública na Assembleia Legislativa de Pernambuco, como parte de uma campanha pela libertação do companheiro José Ricardo Rodrigues. Essa articulação não era uma tarefa simples, pois Zé Ricardo era um camponês sem-terra acusado de matar um policial militar e criminalizado, também, pela direção do MST que o acusava de “ladrão de carga”. Nessa audiência, em novembro de 2007, foi realizada uma vitoriosa manifestação, na qual 400 camponeses exigiram a libertação do companheiro. A manifestação, a audiência e o apoio dos Advogados do Povo de São Paulo foram decisivos para que o próprio Ministério Público, em 2008, solicitasse a liberdade provisória de Zé Ricardo. Zé Ricardo foi o companheiro que levantou a bandeira vermelha da LCP em Pernambuco e Fernando foi decisivo em sua libertação.

A partir de então, Fernando avança em sua militância atuando no Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo) e como forte apoiador do Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) e do Movimento Feminino Popular (MFP) na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde voltou a estudar. Fernando também atuou como professor da Escola Popular e, com grande capacidade, ministrou cursos de temas complexos expostos de forma bastante simples para estudantes e camponeses. Em 2013, foi um entusiasta defensor da juventude combatente.

Fernando foi sempre um defensor do comunismo. Em 1992, durante o desmoronamento do social-imperialismo na URSS, Fernando estava em Moscou junto àqueles que resistiam ao golpe de Gorbatchov e Ieltsin. Sempre foi um defensor entusiasta do papel de dirigente comunista do camarada Stalin. Não se abalou com o discurso imperialista ianque de “nova ordem mundial” e “fim da história”, sempre acreditou na vitória do comunismo. Com o desenvolvimento de sua militância passou a nutrir grande simpatia pelo marxismo-leninismo-maoismo e pelo pensamento gonzalo. Tinha muitas esperanças no desenvolvimento das forças autenticamente revolucionárias no Brasil. Em seu funeral, a Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP) lhe concedeu as honras de um militante comunista.

Logo após essa homenagem, nós da LCP realizamos uma vermelha homenagem na vila onde Fernando morava. Dezenas de camponeses, estudantes, trabalhadores e familiares estavam ali para render-lhe nossas últimas homenagens. Militantes da FRDDP, solenemente, presentearam Larissa, sua companheira de toda uma vida, com a bandeira vermelha comunista e a dourada foice e martelo.

Companheiro Fernando: Presente na luta!

Guarda de honra estende bandeira em homenagem ao companheiro Fernando Barbosa

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza