AM: Camponeses ameaçados pelo latifúndio estão desaparecidos

A- A A+
Da esquerda para a direita temos os camponeses Flávio de Souza, Marinalva de Souza e Jairo Pereira desaparecidos há 20 dias

Os camponeses Flávio de Lima de Souza, Jairo Feitosa Pereira e Marinalva Silva de Souza estão desaparecidos desde o dia 14 de dezembro do ano passado, quando foram vistos pela última vez fotografando e demarcando a área do Igarapé Araras para um processo em curso no Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Os três são lideranças ameaçadas pelo latifúndio por conta da ocupação do Igarapé Araras, situado no quilômetro 56 da BR-319, em Canutama, no sul do estado do Amazonas na divisa com Rondônia. Flávio de Souza é presidente da Associação dos Produtores Rurais da Comunidade da Região do Igarapé Araras (Aspocria), enquanto Marinalva de Souza é a vice-presidente.

Entre os dias 20 e 24 de dezembro, o Exército chegou a realizar buscas na região, mas os camponeses não foram encontrados. Os familiares descartaram a hipótese dos três terem se perdido na área de floresta, pois eles conheceriam bem o local. Flávio de Souza foi chefe do esquadrão brigadista do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) no Parque Nacional Mapinguari, situado entre os municípios de Canutama e Lábrea, no Amazonas, e Porto Velho, capital de Rondônia.

Após a pressão exercida por familiares e companheiros dos desaparecidos, que chegaram a interditar a BR-319 na tarde de 19 de dezembro por várias horas, a juíza Joseilda Pereira Bilio da Comarca de Canutama expediu no dia 28 de dezembro mandados de prisão preventiva para os latifundiários Antônio Mijoler Garcia Filho e Rinaldo da Silva Mota por serem suspeitos no desaparecimento dos três camponeses, além de mandados de busca e apreensão para as suas residências e fazendas.

Os camponeses do Igarapé Araras desde 2015 resistem as ameaças e intimidações de latifundiários da região. Em 1º de dezembro do ano passado, Flávio de Souza chegou a procurar a Comissão Pastoral da Terra (CPT) de Rondônia para relatar ameaças e intimidações proferidas por capangas da fazenda Shalom contra os camponeses do Igarapé Araras e contra a sua vida.

O Igarapé Araras, ocupado por cerca de 316 famílias que vivem na área e se organizam por meio da Aspocria, está situado em uma área pública de nove mil hectares, que é requerida pela fazenda Shalom, pertencente a um latifundiário que reside em Porto Velho ligado ao Grupo Master Holding S/A.

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537

Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

EXPEDIENTE

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda 
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond 
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait