RJ: Polícia mata criança e moradores fecham vias expressas na Maré

A- A A+

Patrick Granja

“A polícia agiu corretamente e com inteligência.”, disse o secretário de segurança pública Roberto Sá à imprensa no último dia 6 de fevereiro, logo após o assassinato do menino Jeremias Moraes da Silva, de 13 anos, em operação policial na Nova Holanda, uma das favelas Complexo da Maré, zona norte do Rio de Janeiro. Uma evidência irrefutável do caráter de classe dessa guerra civil reacionária do velho Estado contra o povo que segue empilhando corpos e derramando sangue nas favelas e bairros pobres.

Além de Jeremias, um homem identificado como Matheus Fernandes Ribeiro, de 20 anos, também foi baleado e levado às pressas para o Hospital Geral de Bonsucesso. No entanto, Matheus não resistiu aos ferimentos e já chegou sem vida ao HGB. O menino Jeremias foi baleado enquanto jogava futebol, causando desespero e revolta de amigos e familiares, que presenciaram tudo.

— Toda vez que volta às aulas na comunidade é isso. Volta às aulas, começa Operação. Parece que eles combinam. Meu filho de 13 anos, um menino de ouro, estava aprendendo a tocar violão. Eu tinha cinco filhos, agora só tenho quatro. Quantas mães não estão passando por isso? A gente vê o noticiário na televisão e acha que nunca vai acontecer com a gente. E agora aconteceu comigo, e daqui a pouco será com outra. Meu marido não tem chão — disse a mãe do menino, a auxiliar de serviços gerais Vânia Moraes.

Revoltados, moradores bloquearam a Linha Amarela e a Avenida Brasil – duas vias arteriais da cidade – e foram reprimidos com bombas de gás e até tiros de fuzil pela Polícia Militar. Jeremias está sendo sepultado nesse momento no Cemitério do Cacuia, na Ilha do Governador.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza