Peru: Exército Popular emite pronunciamento sobre a greve de camponeses

A- A A+

O Exército Popular de Libertação (EPL), dirigido pelo Partido Comunista do Peru (PCP), emitiu pronunciamento sobre a greve desencadeada por camponeses produtores de batatas nos estados de Ayacucho, Huancavelica, Junín, Cusco e outras regiões.

“Em uma contundente e estremecedora greve agrária durando mais de 72 horas, o campesinato defende sua produção de batata, exigindo que o velho Estado declare situação de emergência agrária, assuma a dívida com os bancos por empréstimos e que não se importe batatas pré-cozidas de outros países.”, caracterizaram os revolucionários peruanos. Foram mais de nove regiões afetadas pela justa ação das massas camponesas, que incluem também produtores de frutas.

“Temos que denunciar as três mortes e as várias detenções de camponeses.”, apontam os revolucionários. Dos três mortos a que se referem os combatentes do EPL, dois deles foram assassinados pela repressão na cidade de Cerro de Pasco e na província de Tayacaja, em Huancavelica.

Os revolucionários apontam a greve dos camponeses como uma expressão de que “a luta do povo peruano é incrementada, em quantidade e qualidade, tornando-se mais intensas e contundentes”. “É o povo em luta que deixa grandes lições e esmaga as negras posições de ‘acordos de paz’ e eleições regionais e gerais, como apontam o Movadef, Fuddep, Fenatep e Frente Ampla, etc.”, cravam os revolucionários.

“O EPL, sob a direção absoluta do PCP, se unifica e se solidariza com estas lutas do povo peruano, se compromete a seguir combatendo junto e unidos com o povo, vencendo o inimigo de classe, convertendo-se em um verdadeiro e novo Exército do povo, sempre organizados e dirigidos pelo PCP – Partido que hoje está na tarefa de Reorganização Geral, guiados pelo todopoderoso marxismo-leninismo-maoismo pensamento gonzalo e sob a Chefatura do Presidente Gonzalo.”, declaram.

O EPL está em guerra contra o velho Estado peruano e combate hoje os aparatos de repressão do velho Estado, inclusive as Forças Armadas – a quem os revolucionários denunciam como “genocidas que nunca venceram nada, bando de valentes para matar e covardes para morrer, impiedosos com o sangue dos melhores filhos do povo e com o povo desarmado”.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza