RJ: Moradores protestam em Saracuruna

A- A A+

Uma manifestação de moradores de Saracuruna, no munícipio de Duque de Caxias (RJ) resultou em um ônibus incendiado na manhã de hoje (01/03), em repúdio ao assassinato de um morador que teve seu corpo deixado na rua da comunidade sem remoção por mais de dois dias.

O protesto, que aconteceu na rua Conde de Irajá e bloqueou a via por cerca de uma hora, ocorreu a menos de 7 Km da Comunidade Santa Lúcia, onde há sete dias um morador foi assassinado, uma criança de sete anos e um jovem de 18 anos foram feridos, durante uma operação policial. Nesta ocasião os moradores também protestaram e pelo menos dois ônibus foram incendiados pela revolta popular.

Conforme noticiado nas páginas de AND, a guerra contra o povo tem como seu principal executor as forças de repressão dirigidas pelo velho Estado a serviço das classes dominantes, que, quando não agem abertamente, se utilizam de grupos paramilitares para incrementar a guerra civil reacionária.

Este fato é comprovado pelos dados, ainda que subestimados, levantados por institutos e organizações que investigam o assunto, como o relatório do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, repercutido na edição de AND nº 200. Segundo este estudo, as ações das polícias Militar e Civil vitimaram 21.897 pessoas entre 2009 e 2016 em todo país, números que resultam em uma impressionante marca de um brasileiro assassinato a cada três horas e 12 minutos pelas forças policiais.

Os dados revelam ainda que os policiais assassinaram 965% pessoas mais do que morreram, isso tomando como referência somente o ano de 2016.

A pesquisa também não deixa dúvida sobre o caráter de classe deste genocídio promovido pelas forças policiais, dirigido contra as classes populares, em sua grande maioria jovens, negros e pobres: 99,3% das vítimas são homens, 81,8% tem idades entre 12 e 29 anos e 76,2% são negros.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira