AM: Rodoviários paralisam a cidade de Manaus por direitos

A- A A+

Comitê de Apoio ao AND – Manaus/AM

Motoristas dos transportes coletivo e alternativo da cidade de Manaus paralisaram suas atividades por todo o período da manhã, no dia 28/02. Os motoristas do transporte coletivo exigem melhores condições de trabalho e aumento no salário, há dois anos congelado, enquanto os do transporte alternativo exigem um novo edital por parte da prefeitura, já que o último retirou o trabalho de boa parte da categoria.

O principal foco da paralisação ocorreu na avenida Brasil, no bairro da Compensa, onde motoristas de transporte alternativo chegaram a erguer uma barricada. Outro ponto de concentração foi na avenida Constantino Nery, no bairro São Geraldo.

Os motoristas do transporte coletivo realizaram a sexta paralisação do ano. “Há funcionários pagando em folha por questões de responsabilidade das empresas”, afirmou o presidente do sindicato. Ele se refere à prática das empresas de cobrar dos trabalhadores os eventuais danos que ocorre ao veículo ou a possíveis assaltos.

Paralisação dos rodoviários – Avenida Constantino Nery

Já os motoristas do transporte alternativo reclamam o direito ao trabalho e exigem novo edital para o transporte alternativo na cidade. “Estamos desde 2014 sem trabalhar. Muitos têm que sobreviver fazendo bico”, denunciou o manifestante.

Barricada motoristas do transporte alternativo – Avenida Brasil

Apesar de toda a campanha de desmoralização perpetrada pelo monopólio de imprensa, as massas reconhecem a justeza da manifestação. “Quem sempre paga o pato é a população. Cadê o prefeito que não dá uma basta nisso? Os trabalhadores estão certos com a revolta”, afirmou o técnico de enfermagem, Camilo da silva, 23 anos.

O transporte alternativo é a frota de micro-ônibus que realiza transporte legal com trechos estabelecidos nas zonas Norte e Leste da cidade, as mais populosas e as que mais sofrem com o transporte coletivo. Tem sua origem na década de 90 com as antigas vãs-lotação que realizam o transporte de pessoas nas mesmas zonas.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira