ExNEPe: Manifestações no 8 de Março homenageiam companheira Remís

A- A A+

Reproduzimos a seguir nota da Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia (ExNEPe) sobre as manifestações no 8 de Março - Dia Internacional da Mulher Trabalhadora - que homenagearam a companheira Remís Carla.


Diversas atividades realizadas em celebração do 8 de Março – Dia Internacional da Mulher Trabalhadora homenagearam a companheira Remís, resgatando a sua luta e o seu legado revolucionário.

PUC-Minas/BH:

Companheiras da Executiva Mineira de Estudantes de Pedagogia (ExMEPe) e do  Movimento Feminino Popular (MFP) interviram na aula inaugural do Centro de Ciências Humanas realizada na PUC Minas–Coração Eucarístico no dia 08 de março. Foram distribuídos os panfletos em homenagem ao dia Internacional da Mulher Trabalhadora e montada banquinha com livros sobre a questão feminina publicados pelo MFP. Na intervenção, a companheira destacou o papel das mulheres na luta em defesa do ensino público e dos direitos do povo. O Jornal A Nova Democracia divulgou a transcrição da intervenção realizada:

A resposta dos estudantes diante disso tudo é a luta cada vez mais combativa, como tem sido as greves e ocupações que estouram pelo país. No ano passado, no dia 23 de novembro, a EXNEPe – Executiva Nacional de Estudantes de Pedagogia organizou um vigoroso dia Nacional de Luta que se estendeu por todo o país e prepara desde já o seu próximo Encontro Nacional de Estudantes de Pedagogia.

Em todas essas lutas do povo a participação das mulheres é indispensável. Devemos ombro a ombro com nossos companheiros atuar na luta de classes. Nossa luta não é contra os homens do povo, mas contra todo este sistema de exploração que divide a sociedade em classes e é a base sob a qual se sustenta toda uma cultura patriarcal machista que relega as mulheres do povo às funções mais secundárias na sociedade. Porém nós mulheres do povo possuímos uma força inquebrantável. Momentos de luta se avizinham e estaremos em posição de combate.

Saudamos uma vez mais as mulheres aqui presentes e convocamos para nos organizar e lutar! Despertar a fúria revolucionária da mulher e romper as cadeias deste sistema de exploração e opressão.

Despertar a fúria revolucionária da mulher!

Unifesp/Guarulhos:

Na celebração do Dia Internacional da Mulher Proletária realizada no auditório da Unifesp em Guarulhos, cerca de 40 ativistas dedicaram a celebração à memória da dirigente e fundadora do MFP, Sandra Lima, falecida em 2016, e à nossa grande companheira Remís Carla. Uma faixa trazia escrita a consigna: Companheira Remís Carla, presente na luta!, junto com estandartes estampando o rosto de Remís. Ao final da atividade, o grupo de rap Ameaça Vermelha se apresentou cantando sua mais nova música em homenagem a companheira Remís Carla, onde um dos versos diz: “Companheira Remís Carla/ história nunca esquecerá/ seu exemplo e trajetória rega a luta popular!”.

UERJ/Rio de Janeiro:

Dezenas de estudantes e ativistas populares participaram da celebração realizada no auditório da UERJ pelo MFP, dedicada à memória da companheira Remís Carla e da fundadora do movimento, a companheira Sandra Lima. As várias falas durante a atividade ressaltaram a importância das mulheres se organizarem para impulsionar sua participação nas organizações da luta popular e se engajarem na defesa dos direitos do povo.

UNEB/Juazeiro:

Companheiras da Executiva Baiana interviram na aula inaugural organizada pelo departamento de pedagogia da universidade nos turnos da tarde e da noite. A intervenção começou com a exibição de um vídeo sobre a vida e a militância da companheira Remís. Após, as companheiras fizeram uma fala sobre o legado revolucionário que a companheira nos deixou: o chamado pra ingressar nas fileiras da luta pela transformação radical da sociedade, pondo fim a velha ordem de opressão e exploração, particularmente da opressão sexual sobre as mulheres. Enquanto as companheiras falavam, outras companheiras seguravam uma faixa em homenagem à Remís. Ao final, todos puxaram a consigna: COMPANHEIRA REMIS, PRESENTE NA LUTA!

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza