SP: Jovens celebram Dia do Estudante Combatente

A- A A+

Em celebração ao Dia Nacional do Estudante Combatente, estudantes da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) realizaram um ato político como parte da mobilização nacional chamada pela Executiva Nacional dos Estudantes de pedagogia (ExNEPe), no dia 29/03, no campus de Guarulhos.

As discussões tiveram como principal assunto a intervenção militar em curso no Rio de Janeiro, o fechamento de escolas e universidades e a falsa regulamentação da profissão do pedagogo. Além disso, foram prestadas as devidas homenagem ao secundarista Edson Luiz, assassinado pelas reação no regime militar em 28 de março de 1968.

O ato contou com a participação de dezenas de estudantes e ativistas revolucionários do Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), Unidade Vermelha - Liga da Juventude Revolucionária (UV-LJR), Palmeiras Antifascista (P16) e uma ativista que participou ativamente da Ocupação do Bandejão da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj).

Na fala dos participantes, foi denunciada a atual guerra civil reacionária desatada contra o povo, expressa de maneira mais profunda na intervenção militar em curso no RJ. Também foi denunciada a falsa regulamentação da profissão do pedagogo e as vitórias que a ExNEPe tem alcançado para barrá-la. 

A ameaça à privatização de todo o ensino público também foi discutida, e colocado reiteradamente que só a luta combativa, independente e classista é que pode impor derrotas à ofensiva privatista do imperialismo, principalmente ianque. Tais políticas vem com severas ameaças à autonomia e a democracia universitária, bandeiras históricas do movimento estudantil que foram defendidas com muita luta e sangue dos mais aguerridos estudantes brasileiros. Foi colocado que é necessário o co-governo estudantil nas universidades para haver verdadeira democracia universitária e real defesa do maior direito conquistado até hoje pelos estudantes, que é a gratuidade.

A luta mais importante das últimas décadas pela defesa da gratuidade do ensino público foi travada na Vitoriosa Ocupação do Bandejão da Uerj, e foi sobre essa rica experiência que a ativista que compôs a mesa se deteve. Mobilizando, organizando e politizando os estudantes, a ocupação foi capaz de conquistar uma vitória importantíssima e apontar para maior participação dos estudantes nas decisões da universidade, mostrando que a organização dos estudantes é muito mais avançada que a da atrasada estrutura universitária brasileira. 

No encerramento, o grupo de Rap Ameaça Vermelha se apresentou cantado duas músicas que memoram a luta da juventude combatente  e dos estudantes nos últimos anos: Juventude combatente e Juventude combatente parte 2. A apresentação dos companheiros elevou a moral e o espirito combativo de todos os presentes, dando exemplos concretos da capacidade da juventude de impor derrotas ao inimigo ao lutarem pela real conquista dos seus direitos. 

Após a apresentação, os estudantes entoaram palavras de ordem como Avante, avante, avante juventude, a luta é o que muda, o resto só ilude! e Ir ao combate sem temer, ousar, lutar, ousar, vencer!. E como forma de denunciar os partidos eleitoreiros que se colocam como possíveis fantoches da grande burguesia, do latifúndio e do imperialismo nas próximas eleições, foi ouvida por toda a Unifesp a palavra de ordem Eleição é farsa, não muda nada, não! Organizar o povo para fazer a Revolução!

 



NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza