MG: Povo se une em defesa de vendedor ambulante

A- A A+
 

Foto: Luiz Ribeiro/EM/DA Press

Leonardo Ferreira Soares vendia salgados e suco na principal praça de Montes Claros, Norte de Minas Gerias quando foi abordados por fiscais da prefeitura que pretendiam apreender a mercadoria e o carrinho de vendas trabalhador.

Populares que passavam na movimentada praça Doutor Carlos presenciaram a injustiça e imediatamente se solidarizaram com Leonardo. Aos gritos de "deixem ele trabalhar", dezenas de pessoas retirando notas do bolso compraram todos os sucos e salgados do camelô em poucos minutos para impedir o ataque dos agentes da prefeitura.

O fato aconteceu no final do mês de março (22/03) e ganhou grande repercussão na internet e o vídeo do gesto de apoio ao trabalhador alcançou mais de 3 milhões de visualizações. 

Leonardo Ferreira, desempregado, trabalha há 4 anos como ambulante para arcar com os custos do aluguel de sua casa, de R$350,00 mensais.

Em entrevista a BBC Brasil, o vendedor denunciou a ação da guarda: “O que fizeram comigo foi desumano. Parecia que eu era um ladrão".

“Todo dia acordo cedo para fritar tudo e distribuir em padarias e pequenos comércios. Por volta das 13h, eu saio de casa com o carrinho lotado. Ando uma hora e meia com pelo menos 60 kg para economizar a passagem de ônibus e eles querem tomar tudo. Por que tratam um trabalhador assim?”, declarou o vendedor na entrevista.

Conforme afirmamos em edições anteriores de AND, o esforço do velho Estado para reprimir violentamente o trabalho do povo pobre, contrasta com sua incapacidade de lhe oferecer os recursos mais essenciais, principalmente trabalho digno.

Um povo que trabalha e resiste! Essa é a situação em um país atolado em profunda crise geral do capitalismo burocrático, com 14 milhões de desempregados (em números subestimados) e onde o salário real do trabalhador é, em média, inferior ao do trabalhador chinês ou tailandês.

Um país em que o povo sem saúde e educação tenta sobreviver e é impedido de ganhar a vida honestamente.

Cabe ao povo se insurgir de maneira retumbante contra toda esta velha ordem moribunda de exploração e opressão e construir uma nova ordem na qual imperará uma nova economia, uma nova política e uma nova cultura.

É exatamente esse povo que organizado em movimentos combativos, através dos enfrentamentos de massas cada vez mais beligerantes pela resolução direta de suas demandas imediatas, apontará para a construção dos instrumentos fundamentais para levar a cabo a Revolução Democrática no Brasil: o Partido revolucionário de vanguarda do proletariado e a base para a frente única que é a aliança operário-camponesa.

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

PUBLICIDADE

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!
#
#
#

ONDE ENCONTRAR

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja