MG: PM de Fernando Pimentel/PT acoberta quadrilha de latifundiários do 'Movimento Paz no Campo'

A- A A+
 

Nota da redação: Reproduzimos abaixo nota da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) do Norte de Minas e Sul da Bahia, que denuncia ataques e ofensas realizadas por latifundiários em conluio com a Polícia Militar do gerenciamento estadual de Fernando Pimentel/PT.


                           PM a mando do Governo Pimentel/PT acoberta

                   quadrilha de latifundiários do “Movimento Paz no Campo”

   No dia 18 de abril 100 famílias, organizadas pelo MST, foram expulsas da Fazenda Bom Jesus a 5 km de Montes Claros em uma ação conjunta de bandos de latifundiários com cobertura da PM. A Fazenda que pertence à CODEMIG, do governo de Minas foi tomada depois das ameaças de despejo pela PM no Acampamento Alvimar Ribeiro em Francisco Sá, marcada para este domingo dia 22.   

  A ação violenta e covarde iniciou com o cerco ao acampamento e fechamento da rodovia LMG 657 pelos próprios latifundiários armados que impediram a entrada de alimentos e demais pertences das famílias camponesas. Quando o despejo já estava em andamento, com várias ofensas e ameaças sendo feitas contra os trabalhadores, a PM chegou e “negociou” a saída das famílias, legitimando a ação de expulsão sem mandato judicial, fazendo vistas grossas à récua de bandidos latifundiários denominada “Movimento Paz no Campo”.

  As ações desta quadrilha de latifundiários, bando de parasitas que só sabem sugar o sangue dos trabalhadores, inclusive através de trabalho escravo, comparsas do assassino Léo Andrade, são dirigidas pela Sociedade Rural. Isto ficou comprovado e foi afirmado pelo delegado regional da PC quando do ataque ao Acampamento Terra Prometida da FNL (Frente Nacional de Luta campo e cidade) em Capitão Enéas, no mês passado, deixando várias pessoas feridas, alguns gravemente. Existe inclusive um mandato de prisão contra Léo Andrade, se fosse pobre já estaria preso, mas como se trata desta mesma casta que manda nas polícias e recebe carta branca para mandar prender, torturar e matar gente pobre, até hoje se encontra livre e impune. Em famigerados vídeos produzidos pelos latifundiários, podemos ouvi-los conclamando a “exterminar os sem terra” enquanto os policiais aparecem nestas mesmas imagens retirando as famílias.

  A verdade é que a PM é cúmplice destes bandidos, mais do que isto: são serviçais destes, como temos denunciado nos inúmeros despejos covardes cometidos à mando do governo Pimentel /PT em todo o Estado de Minas! É o mesmo governo que manda a PM bater nos professores em greve. É a mesma PM, que durante o regime militar fascista, sob comando do Coronel Georgino, expulsou os posseiros de “Cachoeirinha” e que grilou terras em todo o Norte de Minas. Por fim, não é estranho que tanto os policiais quanto os latifundiários agiram defendendo uma “propriedade” deste governo. Também não é mera coincidência que o nome da operação policial e da quadrilha dos latifundiários seja o mesmo!

  Estes latifundiários andam de Hilux e vivem uma vida de luxos e ostentação a custa do suor e sacrifícios do povo. São os pequenos e médios proprietários quem produzem mais de 75% dos alimentos consumidos na mesa do povo brasileiro e não estes parasitas.

  A maior parte das terras do Norte de Minas que estão nas mãos dos latifundiários são terras griladas, que nada produzem, mas serviram e servem para pegar dinheiro público e empréstimos nos bancos do Brasil, do Nordeste e outros. Aqueles que produzem, o fazem arrancando o couro dos camponeses, que agora além de todo sofrimento, humilhação e más condições de saúde durante anos a fio submetidos aos latifundiários, não poderão se aposentar, graças à quadrilha maior de Michel Temer/PMDB/PSDB que afundaram ainda mais o país na miséria e nesta guerra civil reacionária.

   E afirmamos que, assim como ao longo dos séculos a nossa luta pela terra nunca parou, cada vez mais, está chegando a hora do acerto de contas, em que o povo do campo, sofrido e mil vezes pisoteado e humilhado, com o apoio dos pobres da cidade, se levantará para acabar de vez com todo o latifúndio tomando todas as suas terras, parte por parte, através da revolução agrária.

  Os latifundiários e classes dominantes no Brasil tem uma dívida de sangue monstruosa com o povo, e uma a uma serão cobradas. Como a luta e seu prosseguimento sempre demonstraram que o sangue derramado dos melhores filhos e filhas do povo não afoga nossa luta e menos ainda a Revolução, senão que rega o espírito de luta e sede de vingança! Somos muitos, milhões e por fim veremos quem vencerá.

Terra para quem nela vive e trabalha! Morte ao Latifúndio!

Viva a Revolução Agrária!

Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

PUBLICIDADE

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!
#
#
#

ONDE ENCONTRAR

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja