Polícia segue matando na capital e interior do Rio de Janeiro

A- A A+

Desde o início de abril, policiais do 28º Batalhão da Polícia Militar (PM), dirigidos pelas Forças Armadas na pessoa do general interventor Braga Netto, fazem repetidas ações no Complexo Vila Brasília, em Volta Redonda. Suas operações de guerra já resultaram na morte de ao menos duas pessoas. Mensagens enviadas por moradores da região a nossa redação sugerem um estado de sítio que pode ter resultado em um número de mortos maior do que o indicado pelas informações oficiais.

— Eu pego meus filhos e coloco em casa sempre que ouço os fogos. Aqui na Brasília dois meninos desapareceram depois que a polícia entrou. O povo acha que a polícia matou e levou embora dentro do caveirão — diz uma moradora referindo-se ao veículo blindado da polícia.

Na zona sul do Rio, o clima também é de tensão. No último final de semana prolongado e na terça-feira após o feriado (24 de abril), policiais fizeram operações em várias favelas da zona sul da capital. No sábado (21), policiais da “Unidade de Polícia Pacificadora” (UPP), do Grupo de Intervenções Táticas (GIT) e do Comando de Operações Especiais (COE) fizeram uma operação nos morros Chapéu Mangueira e Babilônia desde o início da manhã. Segundo moradores, PMs entraram nas favelas atirando indiscriminadamente e atingiram um transformador, deixando parte das favelas sem luz durante todo o final de semana.

Na terça-feira (24) foi a vez da Rocinha, também na zona sul do Rio, ser atacada por policiais da mais homicida tropa da PM do Rio, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Eles chegaram no início da manhã, quando milhares de trabalhadores e estudantes saíam do morro. Na localidade conhecida como Cachopa, as marcas de tiros nos muros e nas paredes das casas dão conta de um verdadeiro cenário de guerra civil contra o povo.

— Eles entraram nas casas, quebraram o portão de um monte de gente, reviraram tudo. Xingam a gente de vagabunda, piranha, batem, humilham. Aqui é favela, mas antigamente a gente viva em paz — diz uma moradora em comentário publicado na página “Rocinha em Foco”, em uma rede social.

A PM do Rio de Janeiro já matou mais nesse primeiro semestre de 2018 do que nos últimos 15 anos, segundo estatísticas do próprio Instituto de Segurança Pública (ISP). E a matança de pobres segue avançando, inclusive em direção ao interior do estado.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza