UERJ: Inauguração do bandejão é conquista da luta estudantil combativa

A- A A+


Reproduzimos a seguir a nota publicada pela página Ocupa Bandejão da Uerj sobre o Ato político de inauguração do restaurante universitário (RU) da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) ocorrido no dia 26 de abril.

A inauguração do bandejão é o resultado da luta combativa movida pelos estudantes que ocuparam o prédio do RU em 26/09/17. O movimento contou com amplo apoio de professores, funcionários e população em geral, dentro e fora da universidade, e após mais de 1 mês de intensa mobilização arrancou da reitoria o compromisso de restabelecer essa assistência estudantil, direito de toda a comunidade acadêmica. O AND acompanhou com exclusividade toda a luta e mobilização dos estudantes.


Ocorreu durante todo dia 26/04, quinta-feira, o Ato político de Nomeação do Bandejão da UERJ. A partir deste dia, o Bandejão se chama Restaurante Universitário Bruno Alves.
Milhares de estudantes passaram pelo local para almoçar ou jantar. Professores, servidores e apoiadores da luta da UERJ também deram seu apoio, fizeram falas, deixaram cartazes, pegaram adesivos e se somaram ao evento, puxado pelos estudantes que ocuparam o prédio no ano passado.
Um grafite foi feito (pelo grafiteiro e artista plástico Vitor Prestes) com o rosto do Bruno, junto a trecho do seu rap “O Irmão que Não Pude Conhecer” e a frase “BRUNO ALVES: PRESENTE NA LUTA”.
Foi retirada a placa que continha o nome do ex-governador Sérgio Cabral, atual governador Pezão e o antigo REItor Ricardo Vieralves - três figuras que intensificaram o plano de sucateamento e destruição da UERJ, e contribuiram para o cenário de desassistência estudantil, por isso mesmo inimigos de toda comunidade acadêmica.
Em lugar dessa placa, foi colocada uma placa provisória com o novo nome do nosso Bandejão. Na semana que vem será realizado o CONSUN (Conselho Universitário), convocamos todos a estarem presentes para conseguirmos a placa permanente junto com outros setores da UERJ.
O evento foi uma merecida homenagem ao estudante, companheiro, negro, cotista, pai, rapper e ativista Bruno Alves que em sua trajetória de vida jamais abaixou a cabeça para a realidade à sua volta. Relembramos o dia 29 de setembro, dia de sua morte em um acidente nos trens da Supervia - no qual que o verdadeiro culpado é o governo estadual e a REItoria que ataca a assistência estudantil e ignora as necessidades dos estudantes cotistas, negros e negras da universidade.
Mas foi também um ato político de relembrar a necessidade da mobilização permanente dos estudantes da UERJ, como foi a Ocupação do Bandejão. A luta ocorrida no segundo semestre de 2017 na UERJ, que teve como palco principal o R.U., conseguiu arrancar a vitória que foi a reabertura e impulsionar outras tantas lutas em curso nas outras universidades do país.
E essa luta deve ser seguida, há muito ainda o que se fazer em defesa de uma UERJ pública, gratuita e de qualidade!

Companheiro Bruno Alves: Presente na luta!
Viva a ocupação do bandejão da UERJ!

VEJa também:

Leia também:

Uerj: As conquistas da ocupação do bandejão

Estudantes dão mostras de organização e combatividade

RJ: Ocupação do bandejão da Uerj recebe amplo apoio

Ocupação do bandejão da Uerj prossegue de forma combativa

RJ: Estudantes ocupam restaurante universitário da Uerj

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza