MG: Liga Operária celebra 1º de Maio classista e combativo em Belo Horizonte

A- A A+
 

por Comitê de Apoio ao AND de Belo Horizonte

Fotos: Nelso/ Comitê de Apoio ao AND de Belo Horizonte

A Liga Operária realizou nessa segunda-feira, 30 de abril, um importante ato público em celebração ao 1° Maio, dia do Internacionalismo Proletário, na cidade de Belo Horizonte (MG).

O evento, que reuniu entidades classistas e combativas, defendeu a necessidade da preparação de uma vigorosa Greve Geral por tempo indeterminado. Tomaram parte do ato a Liga dos Camponeses Pobres (LCP), Luta pelo Socialismo (LPS), Movimento Feminino Popular (MFP), Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), Unidade Vermelha - Liga da Juventude Revolucionária (UV – LJR), Sindicato dos Trabalhadores nos Correios e Telégrafos de Minas Gerais, Sub Sede do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação de Minas Gerais  (Sind-UTE) – Vespasiano e a Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP).

O debate se deu de forma contundente de como unificar a classe contra os ataques aos direitos do povo, ante a crise desse sistema de exploração e opressão, que usa de todos os mecanismos (lícitos e ilícitos), para tentar se safar. Os sindicalistas debateram de forma franca e fraterna, denunciaram a usurpação do verdadeiro significado do 1º de Maio, que simboliza a unidade do proletariado de todos os países, desde a definição da Internacional comunista em 1891.

As falas denunciaram e apontaram que, diante da atual crise do imperialismo, principalmente ianque, aumenta a exploração e opressão às suas colônias e semicolônias, impondo guerras e medidas antipovo.  Mas também exaltaram a combatividade do povo da Nicarágua que tomou as ruas do país para forçar o traidor Daniel Ortega revogar o decreto que baixou, para privatizar a Previdência Social. Foram exaltadas as lutas dos povos na Índia, Filipinas, Turquia e no Peru, que seguem travando guerras populares para tomada do poder. Também foi cobrada a necessidade de defender a vida e saúde do presidente Gonzalo, chefe do Partido Comunista do Peru, preso desde 24 de setembro de 1992.
A luta no Brasil deve ter uma unidade de luta das classes exploradas e oprimidas, principalmente com o apoio decisivo à Revolução Agrária em curso, que cresce a cada dia mais, para destruir o latifúndio, cortar as terras e distribuir aos camponeses sem terra ou com pouca terra.

O ato público foi vibrante e prosseguiu com uma marcha até a Praça Sete (marco zero da capital mineira). Lá, os militantes realizaram uma agitação com grande entusiasmo e distribuíram 2 mil boletins convocando o povo a preparar a Greve Geral.

Estudantes de Pedagogia participaram da manifestação classista na Praça Sete, centro de Belo Horizonte

No final do ato os manifestantes acenderam sinalizadores vermelhos e entoaram a plenos pulmões as palavras de ordens, contra a farsa eleitoral, as “reformas” e o grito que é marca da juventude combatente: Ir ao combate sem temer, ousar lutar, ousar vencer!.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja