Chile: Marcha classista e combativa enfrenta repressão no 1º de Maio

A- A A+

Milhares de trabalhadores, estudantes e ativistas tomaram as ruas da capital Santiago neste 1° de Maio e enfrentaram as forças de repressão do velho Estado.

A massiva manifestação do Dia Internacional dos Trabalhadores, convocada pela Central Classista dos Trabalhadores se iniciou às 11h no ponto de encontro entre a Avenida Brasil e a Alameda e seguiu na direção de Matucana, rumo à Universidade de Santiago.

Foram levantadas palavras de ordem contra a exploração e opressão dos trabalhadores da cidade e do campo e erguidas faixas em celebração ao 200º aniversário do nascimento do grande Karl Marx.

Faixas denunciaram também a prisão e perseguição política contra militantes, como os mapuche que tem travado dura luta pela retomada de seus territórios.

As forças de repressão iniciaram seus ataques contra a manifestação com bombas de gás e jatos de água por volta das 12h, sendo prontamente respondidas pelas massas que arremessaram pedras. Inúmeras barricadas em chamas foram erguidas pelas ruas da capital chilena e bancos também foram atacados pela justa revolta popular.

A manifestação da Central Classista dos Trabalhadores foi organizada em oposição à passeata da CUT (Central Única dos Trabalhadores do Chile), que ocorreu na Praça dos Heróis e serviu mais uma vez de palco eleitoral para partidos oportunistas.

Já na convocatória da marcha combativa, movimentos classistas independentes denunciavam: "a marcha convocada pela direção da CUT-CPC representa a marcha da traição, a marcha da conciliação com os patrões e seu antigo Estado, aquele que pisa sobre o sangue dos dirigentes sindicais assassinados sob Pinochet e governos que o serviram, continuando e aprofundando seu Plano de Trabalho a serviço dos empregadores. É preciso demarcar com o oportunismo, os falsos comunistas e os líderes corruptos que jantam com os principais líderes dos patrões, como o chamado "encontro histórico entre a Central Unitária de Trabalhadores (CUT) e a Confederação da Produção e Comércio (CPC)", ocorrido neste 10 de abril."

Nas ruas, pichações feitas pelos manifestantes com dizeres como A CUT não te defende, denunciaram o papel de conciliação de classes que a entidade vem cumprindo.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza