MG: PM de Fernando Pimentel/PT despeja mais de 100 famílias para construção de lixão

A- A A+
 

Comitê de Apoio AND Norte de Minas

No último dia 26 de abril, cerca de 250 policiais da PM de Minas Gerais, com helicóptero e tratores, despejaram ilegalmente mais de 100 famílias da Comunidade Nova Jerusalém, em Nova Serrana, centro-oeste de Minas Gerais. As famílias, organizadas pela Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) lutam há mais de cinco anos pela conquista das terras da fazenda Canta Galo, que é do governo de Minas e foi repassada em concessão de uso para o município de Nova Serrana e outros sete municípios da região. A juíza Soraya Brasileiro Teixeira da Vara Agrária de Minas Gerais aceitou o pedido de reintegração de posse feito pela prefeitura de Nova Serrana. O prefeito Euzébio Rodrigues Lago/PMDB  justifica a expulsão das famílias para a criação de um aterro sanitário (lixão) no local. Mas, segundo denunciam os moradores da comunidade, o município não exercia a posse da fazenda e sim latifundiários que utilizavam ilegalmente seus pastos para criação de gado de corte.

Na comunidade Nova Jerusalém existe dezenas de casas de alvenaria e mais de 70 hectares de cultivados com legumes, frutas e hortaliças. Dois dias antes do despejo pela PM, pistoleiros atacaram a comunidade disparando contra as casas pela madrugada. Mesmo após a desocupação no dia 26/04 e sem mandato judicial, a PM continua perseguindo as famílias que seguem acampadas próximo à fazenda Canta Galo. O movimento camponês combativo em Minas Gerais denuncia frequentemente como as leis ambientais são utilizadas para criminalizar a luta pela terra e a produção camponesa. Na fazenda Canta Galo em Nova Serrana, esta mesma legislação é abertamente desprezada pelo judiciário, legislativo e executivo para servir aos interesses do latifúndio.

Em audiência da Comissão dos Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de MG, realizada um dia antes do despejo, o advogado Dr. Élcio Pacheco da RENAP (Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares) questionou a legalidade da decisão: “Está eivado de ilegalidades essa decisão judicial que manda despejar mais de 100 famílias em Nova Serrana, na Ocupação Nova Jerusalém. A área é APA (Área de Preservação Ambiental), ao lado do rio Pará, com bioma de transição de Mata Atlântica para cerrado. Há lei federal que proíbe devastar Mata Atlântica. Como pode propor construir Aterro Sanitário em APA ao lado do Rio Pará?”.

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

PUBLICIDADE

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Tel.: (11) 3104-8537
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!
#
#
#

ONDE ENCONTRAR

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja