PM impõe censura à obra ganhadora do Prêmio Jabuti/2017, em Belém do Pará

A- A A+

A capa do quadrinho “Castanha do Pará” de Gidalti Oliveira Moura Júnior, ganhador do prêmio Jabuti (mais importante prêmio literário do país) na categoria HQ no ano de 2017,  foi censurada em uma exposição de obras do gênero no Parque Shopping Belém, na capital paraense, no dia 16/04. O desenho que retrata um policial perseguindo uma criança pobre e preta na praça Ver-o-Peso, importante ponto turístico local, foi retirada arbitrariamente do evento após ameaças veladas feitas por policiais militares em redes sociais.  

A curadoria do evento se justificou afirmando que a retirada da ilustração se deu devido a pressão de policiais militares: “É difícil você não ceder à pressão, eles (policiais militares) queriam uma retratação pública e só se satisfizeram quando optamos pela substituição da arte. Foi uma leitura de ódio por parte desse grupo, e não queríamos trazer qualquer forma de prejuízo para o shopping, por isso a decisão”, declarou aos monopólios de imprensa o curador da exposição, Álvaro Andrade.

O autor, Gidalti Oliveira Moura Júnior, por meio de redes sociais, repudiou a censura: “Sobre a censura à capa de meu livro em exposição em Belém, gostaria de declarar total repúdio aos conceitos arbitrários que classificaram a imagem como uma ofensa à polícia militar. A retirada da obra do evento é um gesto que vai contra valores fundamentais que defendo, dentre estes, a liberdade de expressão”.

É importante destacar que não é coincidência a Polícia Militar (PM) de Belém manifestar tamanha indignação pela publicação de um singelo retrato da violência imposta histórica e diariamente pela mesma ao povo pobre e preto. Esta mesma PM, desde o final de abril, já assassinou mais de 60 moradores de bairros pobres da cidade, em represália à morte de um de seus agentes. Prática rotineira da instituição por todo o país e que se aprofunda como parte dos preparativos das reacionárias Forças Armadas a serviço do imperialismo principalmente ianque, para o seu golpe de Estado contrarrevolucionário, contra os inevitáveis grandes levantamentos das massas que avizinham-se.


Obra censurada pela PM de Belém do Pará, de Gidalti Oliveira Moura Júnior

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza