MFP: Todo apoio à luta dos caminhoneiros!

A- A A+

Repercutimos nota do Movimento Feminino Popular (MFP) em apoio à combativa greve dos caminhoneiros, que nesta segunda-feira completou 8 dias.

Leia também no novo blog oficial do MFP: www.brasilmfp.blogspot.com/


Todo apoio à luta dos caminhoneiros!

O MFP – Movimento Feminino Popular saúda calorosamente os trabalhadores caminhoneiros que tem se levantado em greve, bloqueando rodovias em todo o país desde o dia 21/05, mostrando que a luta combativa é o caminho para a conquista de direitos. Na prática estão aplicando uma greve geral, o caminho o qual os trabalhadores de todo o país devem trilhar.

Repudiamos veementemente o decreto do governo de “garantia da lei e da ordem” a partir da sexta-feira, dia 25, até o dia 4 de junho, que coloca as Forças Armadas para reprimir, prender os grevistas e esmagar a justa greve dos trabalhadores em transporte de carga. Exatamente há um ano o governo de Michel Temer usou do mesmo decreto para reprimir os trabalhadores que convocavam a greve geral e manifestações combativas em Brasília contra a reforma trabalhista. Essas medidas fazem parte do golpe militar contrarrevolucionário preventivo que as forças armadas tem arquitetado, a mando dos imperialistas, em nosso país frente ao inevitável levantamento das massas contra o estado de exploração e opressão a que estão submetidas. Este decreto acontece no contexto de intervenção militar no Rio de Janeiro e aumento do fascismo em nosso país, em que as lutas populares são cada vez mais criminalizadas.

A revolta desses trabalhadores é extremamente justa, visto que, além do absurdo preço dos combustíveis que tem que pagar (cerca de 27% são autônomos), trabalham sobre condições análogas à escravidão. Têm uma jornada de trabalho absurdamente exaustiva, chegando a 12 horas diárias ou 72 horas semanais, correndo risco de acidentes e morte, ficando longe de suas famílias a maior parte do ano, recebendo míseros salários entre um e três salários mínimos. E é sobre a exploração cada vez maior dos trabalhadores do nosso país que nossas riquezas são diariamente escoadas para os parasitas estrangeiros que saqueiam nossa nação.

Não é a toa que por todas as partes vemos o povo brasileiro apoiando com entusiasmo esta luta, solidarizando-se com doações de alimentos e água, além de aderir aos protestos, pois sente que este é o caminho que todos devemos tomar: combater e resistir! O povo em nosso país tem sofrido duramente com a carestia de vida, com o desemprego, com a maldita reforma trabalhista, com o sucateamento da saúde e educação públicas, com o aumento do preço dos combustíveis, do gás de cozinha, da conta de energia, dos alimentos, dos remédios, do transporte, com a absurda concentração de terras nas mãos do latifúndio, enfim com todo o estado de exploração e opressão que nos impõe este Estado de grandes burgueses e latifundiários serviçais do imperialismo.

Diante da repercussão da greve, grupos de extrema direita e empresários tentam se aproveitar da situação, propagandeando o golpe militar, porém está claro que os protestos dos últimos dias são resultado direto da situação extrema de penúria que as massas populares de nosso país tem passado, e o com o decreto de “garantia da lei e da ordem” fica evidente que estão apavorados com a rebeldia do povo que se espalha por todas as partes do Brasil.

Nenhuma dessas medidas repressivas impedirá o inevitável levantamento das massas do nosso país que clamam por uma verdadeira mudança. Esta mudança passa longe da farsa eleitoral e também longe do golpe militar contrarrevolucionário preventivo que está em curso justamente devido ao temor que as classes dominantes estão diante do iminente levantamento popular. A nova ordem pela qual anseiam as massas populares é uma verdadeira revolução! Revolução Democrática, que se inicia com a Revolução Agrária para entregar aos camponeses pobres, à classe operária, aos servidores públicos, professores e estudantes, bem como aos pequenos e médios proprietários, tudo o que lhe foi usurpado pelas classes de latifundiários e grandes burgueses serviçais do imperialismo.

Viva a justa luta dos caminhoneiros!

Viva a rebelião popular!

Nem a farsa das eleições, nem intervenção militar: o caminho do povo é a Revolução!

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja