AM: Em sétimo dia de greve, rodoviários e usuários se unem contra descaso em Manaus

A- A A+

Há sete dias de greve, os rodoviários de Manaus tiveram um apoio ativo dos trabalhadores locais, no dia 4 de junho. Um grande protesto espontâneo ocorreu no terminal de integração 4 e centenas de trabalhadores destruíram os ônibus coletivos. A greve exige a não aplicação da reforma trabalhista (“trabalho intermitente”), e os usuários exigem melhores condições do transporte coletivo e baixa na tarifa.

A revolta iniciou quando os rodoviários pararam pela sétima vez, impulsionando assim os trabalhadores a uma justa revolta contra as péssimas condições do transporte coletivo, associados a um alto valor da tarifa. Em questão de minutos dezenas de pedras foram arremessadas nas vidraças dos ônibus, inicialmente nos veículos mais precários, posteriormente a todos os demais veículos que estavam parados no terminal 4.

O protesto espontâneo e combativo durou cerca de uma hora, apesar da presença de policiais militares. Nem mesmo a Tropa de Choque foi capaz de cessar o protesto. Os trabalhadores saíram do terminal e fecharam as ruas próximas.

Além do terminal 4, os rodoviários paralisaram também os terminais de integração 3, além dos terminais dos bairros Petrópolis, Vila Marinho, Bairro da Paz e Conjunto Augusto Montenegro. Segundo dados não oficiais cerca de 61 ônibus foram apedrejados, sendo 3 destes incendiados parcialmente.

Ainda durante a manhã de hoje parte dos rodoviários realizaram um protesto em outro ponto da cidade cobrando abertura de investigações sobre a planilha de custos que é utilizada como base para o cálculo da tarifa, elaborada pela prefeitura da cidade.

Foto: Junio Matos

Foto: Junio Matos

Foto: Banco de dados AND

Foto: Marcio Silva

Foto: Marcio Silva

Foto: Banco de dados AND

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza