Clodiodi Vive: 2 anos de resitência da Retomada Kunumi Poty Verá!

A- A A+
Pin It


Segue a reprodução da nota emitida pelo Comitê de Solidariedade aos Povos Indígenas em memória a Clodiodi de Souza, grande representante da luta pela autodemarcação das terras indígenas. 


CLODIODI VIVE: 2 ANOS DE RESISTÊNCIA DA RETOMADA KUNUMI POTY VERÁ!

O dia 14 de junho marca dois anos do Massacre de Caarapó, onde fazendeiros e pistoleiros, juntamente com as forças armadas do Estado, atacaram covardemente a retomada Guarani e Kaiowá de Toro Paso, onde incidia a fazenda Yvu. Neste ataque, dezenas de indígenas foram feridos e o agente de saúde indígena Clodiodi Aquileu Rodrigues de Souza foi assassinado. O local do massacre, hoje é o tekoha Kunumi Poty Verá, nome guarani de Clodiodi. Logo após o ocorrido, os Guarani e Kaiowá avançaram para recuperação de suas terras, respondendo à todas investidas dos latifundiários com muita combatividade.

No fim de outubro de 2017, as retomadas Guapo’y e Jeroky Guasu receberam ordem de despejo. Os dois locais fazem parte do mesmo Tekoha Guasu (Grande Território) que Kunumi Poty Verá. Desde a abertura do processo, os Guarani e Kaiowá se mobilizaram para permanecer em seu território, anunciando que resistiriam até a morte, conforme diz a carta que elaboraram na ocasião:

“A nossa resistência é a nossa sobrevivência, morrer por alguma coisa, estamos dispostos a morrer pela nossa terra, pela nossa existência, pelo nosso futuro, por isso lutaremos, o nosso objetivo é reconstruir o nosso jeito de ser e de viver em nossas terras tradicionais. Nossas crianças ainda enfrentaram muitas décadas pela frente e por elas não abriremos mão, não recuaremos, aqui morreremos, assim como o nosso irmão Clodiodi (Assassinado em 14 de junho de 2016 no Massacre de Caarapó) aqui ficaremos”.

A ordem de despejo se cumpriria no início de Abril. O Estado mobilizou suas forças afim de cumprir sua tarefa histórica de serviçal dos ruralistas. Porém enfrentaram uma ampla resistência dos Guarani e Kaiowá que, junto a diversos apoiadores, conseguiram derrubar temporariamente a liminar. Mais que nunca, Clodiodi está presente na luta, transformando o sangue derramado em fúria para retomar a terra e destruir o latifúndio.

Assim como em 2017, convocamos todos os apoiadores da causa indígena a resgatar a memória de Clodiodi de Souza, construindo atos, agitações e propaganda, convertendo o dia de sua morte em dia em defesa da luta pela autodemarcação das terras indígenas.

GUERREIRO CLODIODI: PRESENTE NA LUTA!
AVANÇAR AS RETOMADAS, DESTRUIR O LATIFÚNDIO!
Comitê de Solidariedade aos Povos Indígenas

 

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja