Ativistas apoiam 23 perseguidos políticos, na Alemanha e na Áustria

Revolucionários empreenderam dezenas de ações repercutindo a campanha Não é só pelos 23, é por todos que lutam!, na Alemanha e na Áustria. Os ativistas europeus rechaçaram a condenação dos 23 ativistas processados por participarem de protestos contra a roubalheira do ex-governador Sérgio Cabral, o aumento das passagens de ônibus, a farra da Fifa e a farsa eleitoral no Rio de Janeiro.

O sítio alemão Dem Volke Dienen (Servir ao Povo, em alemão) lançou uma nota de repúdio à condenação e de solidariedade aos 23 ativistas, em especial ao militante revolucionário Igor Mendes. “O Brasil não é um símbolo de progresso, mas de putrefação, onde o reinado do terror contrarrevolucionário é tão natural que ninguém acha estranho”, contextualiza. E prossegue: “Quando defendemos Igor Mendes defendemos todos os 23”. O sítio alemão afirma ainda que “Igor Mendes é reconhecidamente um líder da juventude revolucionária do Brasil” e clamou: “Liberdade para os 23! Rebelar-se é justo!”.

Inúmeras ações de pichações com a consigna Igor Mendes, filho do povo brasileiro e do proletariado internacional, não está sozinho! foram empreendidas em várias cidades alemãs como Bremen, Hamburgo, Weimar e Berlim.

Ainda em Hamburgo, Alemanha, os revolucionários peruanos organizados na Associação de Nova Democracia Nuevo Peru também somaram-se à campanha. “Declaramos nosso pleno acordo com a nota de denúncia dos companheiros perseguidos, manifestamos nossa solidariedade com eles, com a sua luta, contra a perseguição política e chamamos todos a difundirem a situação dos companheiros e da luta do povo do Brasil, como parte da luta dos povos do mundo”.

Na Áustria, as ações de solidariedade foram realizadas em Viena (capital do país), Linz, Innsbruck e Salzburgo. As consignas Liberdade para Igor Mendes! Liberdade para os 23! e A rebelião se justifica! foram desfraldadas pelos ativistas austríacos. Especialmente em Innsbruck, uma faixa foi confeccionada e erguida em uma movimentada avenida estampando a palavra de ordem Lutar não é crime!, em português.

 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda (licenciado)
Victor Costa Bellizia (provisório)

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Matheus Magioli Cossa
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação
Ana Lúcia Nunes
João Alves
Paula Montenegro
Taís Souza
Rodrigo Duarte Baptista
Victor Benjamin

Ilustração
Paula Montenegro