Maoistas norte-americanos apoiam os 23 ativistas perseguidos

A- A A+

Os Guardas Vermelhos de Austin (Texas, USA) – organização maoista – emitiram um longo pronunciamento declarando apoio aos 23 perseguidos políticos e especialmente ao ativista Igor Mendes, além de uma ampla análise e exposição sobre a situação política do Brasil. Os 23 ativistas em questão foram condenados em julho por participarem de protestos em 2013 e 2014 contra a farra da Fifa, a roubalheira do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e contra a farsa eleitoral.

“O Estado brasileiro reacionário prendeu o Igor Mendes juntamente com 22 de seus companheiros por participarem de manifestações contra a Copa do Mundo da Fifa, em 2013-2014”, contextualizam os maoistas, prosseguindo: “A Fifa destruiu as casas dos trabalhadores pobres e violentamente empurrou as massas de sua própria cidade para dar lugar a turistas. O Estado tratou a juventude das favelas como pragas subumanas. Quando os jovens, indignados, mobilizaram-se em massa para protestar, os agentes do governo Dilma/PT (da chamada ‘esquerda’), responderam com violência reacionária e aprisionaram parte dos ativistas. Todos os 23 ativistas foram condenados de 5 a 13 anos de prisão”.

Os maoistas dão particular destaque ao militante Igor Mendes, e afirmam que “honrá-lo é honrar os 23 ativistas”. Os maoistas justificam: “Quando na prisão, o companheiro Igor foi inabalável. No verdadeiro espírito revolucionário, ele destacou: ‘Vou sair daqui mais convencido de que o Brasil precisa de uma Grande Revolução’”. E prosseguem: “Igor nunca se viu como uma vítima, mas como um revolucionário; ele é um verdadeiro filho de nossa classe”, ressaltando que ele sempre manteve “fé inabalável nas massas e na revolução”. Os maoistas comparam ainda Igor Mendes com o camarada Dallas, um militante da organização de Austin preso por motivos políticos.

“Convocamos todos os ativistas e coletivos do nosso movimento a empreenderem ações de solidariedade e educar o proletariado do USA sobre a luta de seus 23 irmãos e irmãs que estão sendo perseguidos pelo Estado brasileiro.”, conclamam os Guardas Vermelhos.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza