Juízes de alto coturno são flagrados vendendo sentenças; crise abala judiciário peruano

A- A A+

Uma grande crise política e moral abala o velho Estado peruano. Na segunda quinzena de julho, foram vazados áudios telefônicos de juízes vendendo sentenças para notórios criminosos. O centro da quadrilha, que promovia tráfico de influência, suborno e outros crimes, encontrava-se no Conselho Nacional da Magistratura (CNM), responsável por supervisionar a atividade do judiciário nacional.

Diversos funcionários do judiciário renunciaram a seus cargos após o escândalo, entre eles o presidente da Suprema Corte, Durbelí Rodriguez (no dia 19), que teve seu assessor flagrado conversando com um membro da quadrilha de toga. Um dia depois, todos os sete conselheiros do CNM foram destituídos e o organismo foi dissolvido. Outros cinco juízes da Corte Superior de Justiça de Callao também foram destituídos por envolvimento na máfia.

Após as denúncias, além dos juízes e do presidente da Suprema Corte, o ministro da justiça, Salvador Heresi, também renunciou, no começo da quinzena por ser flagrado em um áudio com membros da quadrilha. Um juiz não identificado foi preso e outro está impedido de sair do país.

Até mesmo o novo Procurador-Geral, Pedro Gonzalo Chavárry, que assumiu o cargo no dia 20/07, está comprometido em um áudio em que parece pedir favores ao juiz do Supremo, César Hinostroza, um dos acusados do escândalo de venda de sentenças.   

Ante tamanha podridão, milhares de manifestantes protestaram na capital do país, Lima, na noite de quinta-feira 19/07. Outros protestos ocorreram nas cidades de Tecna, Arequipa, Puno, Cuzco, Ayacucho e Cajamarca.

Protestos em Lima contra o judiciário peruano 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza