Argentina: Senado frustra mulheres e nega direito ao aborto

A- A A+

Buenos Aires, Argentina, 9 de agosto de 2018. Foto: Reprodução

Manifestantes tomaram as ruas e confrontaram-se com as forças de repressão argentinas após rejeição da proposta de legalização do aborto até a 14ª semana de gravidez, no dia 9 de agosto, em Buenos Aires.

A Câmera dos Deputados já havia aprovado a proposta em junho, faltando apenas a aprovação do Senado. Um dia antes do protesto, a plenária que discutia o assunto entrou pela madrugada e, por 38 a 31 votos, foi rejeitada. O aborto continua permitido apenas em caso de estupro ou risco de saúde da mãe.

Os dados de 2006 apontavam que 100 mulheres morriam anualmente por complicações após aborto realizado em condições inapropriadas. Esse tipo de morte, na Argentina, é – segundo os dados da ONG Human Rights Watch – a primeira causa de morte materna, representando 30% do total.

O direito ao aborto, uma questão essencialmente democrática, é uma importante pauta das mulheres por sua emancipação.

No Brasil

Tramita no STF uma ação que pede a descriminalização do aborto induzido e voluntário até a 12º semana de gestação. A relatora da ação, ministra Rosa Weber, convocou duas audiências públicas para os dias 3 e 6 de agosto.

Pelo Brasil, manifestações foram convocadas em várias cidades em apoio a ação, exigindo a descriminalização do aborto. Depois de avaliar o material das audiências, a ministra e relatora elaborará seu voto e encaminhará para colocação em pauta no Supremo.

Foto: Reprodução

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

LEIA TAMBÉM

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira