Filme 'Auto de Resistência' é exibido na CDD, no Rio

No segundo sábado deste mês de agosto, dia 11/08, foi exibido o filme Auto de resistência na Cidade de Deus, zona oeste do Rio. Estiveram nela presentes a diretora Natasha Neri, familiares de vítimas da violência do velho Estado, moradores da Cidade de Deus e membros do comitê de apoio ao AND.

O nome Auto de resistência se refere à narrativa comum dada por policias ao assassinarem inocentes, geralmente negros e nas favelas, afirmando tê-lo feito em legítima defesa frente a uma suposta resistência à prisão ou à ação policial. Recorrentemente, as testemunhas dos “autos” são os próprios policiais que cometeram o assassinato. O velho Estado faz questão de amparar judicialmente e aprovar abertamente tais condutas de sua força de repressão.

Após a exibição do filme, ocorreu discussão sobre o filme entre os presentes, na qual familiares de vítimas relataram os crimes policiais do assassinato e tentativa de ocultação de provas e contaram como deram início a sua militância. Esses familiares, em sua maioria mães, transformaram a dor de sua perda na luta pela punição dos policiais criminosos; a transformaram na luta para que os assassinos de seus filhos repetissem esse feito com os filhos de outros.

O filme

Fazendo denuncia aos crimes do velho Estado, o filme tem como fio condutor o julgamento de policiais que assassinaram jovens sob a justificativa de resistência à ação policial, e a luta dos familiares destes jovens por justiça.

O filme discorre em torno de alguns crimes de Estado em que houve processo, devido à existência de provas filmadas e, em alguns desses casos, da divulgação destas provas em veículos da imprensa. A existência de processo nos casos de assassinato por “auto de resistência” é, no entanto, uma exceção.

Além de denunciar os crimes do braço armado do Estado, o filme expõe também os crimes de outras esferas do velho Estado, mostrando um judiciário que não cumpre sequer as suas próprias leis e senta sobre os processos.

Moradores da CDD, mães e familiares de vítimas da violência do Estado e apoiadores de AND compuseram o público na exibição do filme. Cidade de Deus, 11/08.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Victor Costa Bellizia

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza