RJ: Polícia atira e mata mulher em Caxias

A- A A+

Vânia Tibúrcio, 36, foi baleada e morta com um tiro disparado por um policial militar na noite do dia 20/08, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A costureira e o marido, Carlos Lopes, estavam no carro da família quando foram parados por uma blitz da polícia. Carlos afirma que parou o carro após a ordem dos policiais, porém, mesmo assim foram disparados dois tiros contra o casal.

Um dos disparos atingiu a nuca de Vânia e o projétil ficou alojado na base do crânio. Ela foi internada, mas teve morte cerebral constatada no dia seguinte, no Hospital Municipal Moacyr do Carmo, na mesma cidade.

A família de Vânia quer justiça e processará o policial. “O tiro que deram foi para matar. Poderiam muito bem ter atirado no pneu do carro. O carro estava parado. Não tinha necessidade de ele fazer o que fez.”, afirmou.

Preparados para matar

Não raro policiais cometem atos como no caso de Vânia. A exemplo, o jovem Luis Guilherme dos Santos, 18 anos, que levou três tiros em abordagem policial em janeiro deste ano, em Nova Iguaçu. O policial considerou a queda da bolsa do jovem como “movimento brusco e perigoso” e efetuou os disparos. Luis estava no seu primeiro dia de trabalho quando o caminhão em que estava com mais três colegas de trabalho foi interceptado e sua vida ceifada.

Em nota após o ocorrido com Vânia, a PM disse que os policiais da blitz em Caxias haviam passado recentemente por Estágio de Aplicações Táticas, aprimoramento técnico ministrado pelo Comando de Operações Especiais da Polícia Militar.

Data do mês de abril o início do Estágio de Aplicações Táticas, uma turma de 130 policiais iniciou o curso de reciclagem ministrado pelo Exército Brasileiro. O Comando de Operações Especiais (Core) foi o primeiro a passar pelo Estágio para que servissem de multiplicadores. O objetivo é formar desde então 500 agentes por mês. As aulas, segundo a Agência Brasil, incluem treinamento de progressão em área conflagrada, patrulhamento, abordagens, manutenção de armas e munições, entre outras.

Em maio, após a publicação do Monitor da Violência e o aumento no número de mortes causadas por policiais, a Secretaria do Estado de Segurança do Rio de Janeiro afirmou que o Gabinete de Intervenção Federal, por meio do Exército Brasileiro disponibiliza também as estruturas do Exército para treinamentos periódicos dos policiais militares.

De acordo com a Agência Brasil, o “curso é semelhante ao que foi ministrado para militares que participaram na Missão de Paz no Haiti e das operações conjuntas de Garantia da Lei e da Ordem”.

A costureira Vânia Tibúrcio 

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja