África do Sul: Luta pela terra se intensifica

A- A A+

Camponeses que ocupam há anos um latifúndio próximo de Verulam, ao norte de Durban, enfrentaram dura repressão policial no dia 23 de agosto. Balas de borracha foram disparadas por uma unidade policial especializada em repressão à luta pela terra e feriram dois camponeses, incluindo uma jovem mulher; além disso, vários barracos foram destruídos.

Os pequenos produtores denunciaram que a repressão foi desatada arbitrariamente contra a massa. A camponesa atingida pelas balas de borracha, Nonkululeko Cele, denunciou: “Eu não fiz nada de errado. Meu crime foi tirar fotos e filmar, com meu celular, tudo o que eles estavam fazendo, e por isso me atacaram”, disse ao monopólio de imprensa local All Africa.

As “autoridades” locais do velho Estado semicolonial e semifeudal sul-africano – Estado fundado no ódio às massas populares, aos pretos e no racismo institucional – justificou a ação e qualificou-a como legal, pois “a unidade policial tinha que executar a ordem judicial”.

Os camponeses estão há anos trabalhando na terra, segundo os próprios. “Agora, de repente, eles dizem que são donos da terra, mas desde quando? Têm várias sepulturas aqui cavadas há anos, onde estava o tal proprietário quando nossa família foi enterrada aqui? Essa terra é nossa!”, crava a camponesa Martha Zulu, de 60 anos.

Esse não é um caso isolado de repressão do Estado contra o campesinato que, a propósito, eleva espontaneamente sua luta por terra no país africano.

Na África do Sul, de acordo com a última auditoria pública realizada em fevereiro deste ano, um punhado de latifundiários brancos possuem 72% dos 37 milhões de hectares disponíveis no país – latifundiários herdeiros de um passado colonial e sustentadores da atual subjugação do país ao imperialismo. Os camponeses, principalmente rpetos e povos tribais locais tiveram suas propriedades e posses da terra desbaratadas pela Lei de Terra dos Nativos, de 1913. A concentração da propriedade fundiário se acentuou ainda mais durante o apartheid.

Há um grande movimento espontâneo e até eclético a favor de uma profunda “reforma agrária” – como denominam – no país como uma necessidade para aliviar a imensa miséria que pesa sobre as massas populares, principalmente composta por pretos nativos, demonstrando a vigência do problema agrário para os países de Terceiro Mundo.

Foto ilustrativa 

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza