SC: Prefeito descumpre acordo e trabalhadores da Comcap deflagram greve

A- A A+

Trabalhadores votaram em assembleia a greve durante tempo indeterminado.

Em assembleia realizada na manhã de 3 de setembro, os trabalhadores da Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap) decidiram entrar em greve por tempo indeterminado, após descumprimento do acordo coletivo por parte da prefeitura de Florianópolis.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis (Sintrasem) o acordo coletivo da categoria prevê que um concurso público fosse realizado até 31 de agosto de 2018, mas não foi apresentado nenhum plano com relação a isso. O último ocorreu em 2012 e a falta de novos quadros profissionais tem aumentado o número de adoecimentos e de acidentes no trabalho.

De acordo com a assessoria do Sintrasem, somente entre janeiro e agosto deste ano foram contabilizados 39 acidentes durante o expediente. A direção da empresa também havia prometido entregar os materiais (uniformes e equipamento de proteção individual novos) até dia de início da greve, o que não ocorreu. Há divergências ainda a respeito de compra e manutenção de caminhões, bem como extensão da jornada de trabalho.

“Os trabalhadores e a população não vão aceitar a demagogia de um prefeito que, há quase dois anos, promete melhorias para a Comcap e apenas ataca quem limpa, cuida e preza pela cidade”, afirma o sindicato em nota.

A categoria também reivindica a compra de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), de uniformes e de peças para o conserto dos caminhões, bem como uma rediscussão do regime dos trabalhadores que “foram retirados de forma arbitrária de 8 horas para 6”.

A prefeitura de Florianópolis, sob a gerência de Gean Loureiro (MDB), ameaça descontar dos trabalhadores os dias paralisados e informou em nota que entrará com um pedido de ilegalidade da greve. O sindicato, por sua vez, afirma que cumpriu todos os trâmites legais para a deflagração da greve. “Abusiva é a postura da prefeitura que, ao invés de estabelecer negociações, ameaça a categoria”, disse também em nota.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Avenida Rio Branco 257, SL 1308 
Centro - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também:
https://www.catarse.me/apoieoand

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Fausto Arruda

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Ana Lúcia Nunes
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira

Ilustração
Taís Souza