BA: Ato-político em apoio aos 23 manifestantes

A- A A+
Pin It

No dia 11/09, ocorreu na Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia um ato-político em apoio aos 23 manifestantes das jornadas de junho de 2013 e dos protestos contra a Copa da Fifa em 2014, recentemente condenados pelo judiciário.

O ato-político foi organizado pelo Comitê de Apoio do jornal A Nova Democracia e pelo Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), contando com o apoio da professora Sara Cortes e com a presença de aproximadamente 40 estudantes de Direito. A sala foi ornamentada com cartazes de solidariedade ao Dr. Sernas – advogado do povo desaparecido no México por sua atuação em defesa do povo –, ao prof. GN Saibaba – democrata indiano preso há meses por seu destacado papel em defesa dos direitos do povo e contra a repressão – e ao Presidente Gonzalo – chefe do Partido Comunista do Peru e da Revolução Peruana, preso desde 1992 e mantido incomunicável sob leis inválidas e oriundas de um “autogolpe” de Estado.

A palestra começou com uma explanação do advogado Vinicius Romão sobre os abusos e ilegalidades do juiz Flávio Itabaiana na sentença condenatória aos 23 manifestantes. Também foi exibido o documentário Um Brasil sem direitos, produzido em 2014.

Um dos palestrantes denunciou que essa condenação revela o caráter do velho Estado brasileiro, sendo este um Estado que não serve aos interesses das classes populares, que se vale tanto de aspectos legais e institucionais como também de mecanismos não institucionais – como as milícias, grampos telefônicos, pistolagem etc. – para perseguir e reprimir ao povo.

Diante da crise econômica mundial – prosseguiu – se desenvolve no Brasil uma crise política, na qual se lança sobre as massas a mais pesada exploração e privação de direitos básicos; as massas, por sua vez, respondem com a justa rebelião e, o velho e podre Estado, não conseguindo apaziguar mais os conflitos, lança sua pesada repressão e põe em marcha uma intervenção militar como parte do plano de golpe militar contrarrevolucionário preventivo. Isso evidencia – concluiu – evidenciando mais ainda sua demagogia de "Estado democrático" em bancarrota.

Ao término do evento, foram abertas intervenções para tirar dúvidas, todas muito no sentido de buscar soluções e formas de se organizar para as lutas. Em uma das respostas, se frisou que tais perseguições sempre se focam em alguns grupos ou lideranças específicas, como parte de uma estratégia da repressão para atingir ideologicamente com o pessimismo, passando medo para minar a capacidade dos movimentos que apresentem alguma ameaça, entretanto, a melhor forma para blindar-se da repressão é a organização. 

Edição impressa

A imprensa democrática e popular depende do seu apoio

Leia, divulgue e conheça. Deixe seu nome e e-mail para se manter informado
Please wait

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja