USA: Maoistas lançam boicote às eleições reacionárias

A- A A+
 

A organização dos Guardas Vermelhos, de Austin (Texas, USA), iniciou uma campanha de boicote à farsa eleitoral e emitiu um longo comunicado, em 19 de setembro, fundamentando sua posição. Atividades foram estão sendo coordenadas em toda a cidade, dentre colagens de cartazes e até um comício. Em todo o país serão realizadas eleições para o Congresso e para o Executivo nos estados.

A campanha de boicote está sendo impulsionada com as consignas Eleição não! Revolução sim! e Salvo o Poder tudo é ilusão!; os jovens também estão aproveitando para propagandear a necessidade de um Partido Comunista maoísta e da importância, em perspectiva, da luta armada como única via para alcançar a revolução.

Uma das atividades da campanha foi realizada em Austin, no dia 1º de outubro. Os maoistas aproveitaram e uniram ao mote da atividade a celebração ao 69º aniversário do triunfo da Grande Revolução Chinesa. Foram lançados balões com consignas como Eleição não! Revolução sim! e retratos do Presidente Mao. Uma faixa com a mesma consigna foi estendida pelos jovens maoistas, que cobriram os rostos com lenços vermelhos; sinalizadores vermelhos também foram utilizados.

Não votar

Os jovens maoistas estadunidenses, no documento publicado em seu site oficial, fizeram a defesa do boicote eleitoral como uma via para denunciar a “democracia” norte-americana como “na verdade, uma ditadura da classe proprietária”. Eles qualificaram as eleições como “uma ferramenta para nos dominar e manter-nos pacificados, impedindo-nos de começar a falar sobre as vias de fato para conquistar o Poder fora desta ratoeira que é o sistema”.

“Os Estados são invariavelmente ditaduras de uma classe sobre a outra e estamos fartos de viver sob a ditadura da classe proprietária.”, agitaram os maoistas, no comunicado.

Combatendo o oportunismo e os chamados “socialdemocratas”, a organização recordou que em época de eleição eles surgem, mas estão todos comprometidos “com as atrocidades do imperialismo ianque e de Israel no Oriente Médio”.

Durante uma atividade, em Austin, os Guardas Vermelhos realizaram um discurso onde atacam o revisionismo e sua ilusão de que “é possível chegar ao Poder pela via das eleições”. “Vamos então insistir no caminho revolucionário do Presidente Mao e na lei universal da violência revolucionária!”, exclamaram, na ocasião, os maoistas.

“Para quebrar esse ciclo de abuso e manipulação, é preciso se organizar. É preciso construir o Partido Comunista em meio ao confronto direto com os inimigos de classe reconhecidos. Isso significa, principalmente, unir-se sob o maoísmo.”, propagandearam.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja