RJ: Incêndio destrói dependências do Hospital Lourenço Jorge; quatro pessoas morrem.

A- A A+
 

Um incêndio destruiu a parte superior da Coordenação de Emergência Regional (CER), prédio anexo ao Hospital Lourenço Jorge, na zona Oeste do Rio de Janeiro, por volta das 16 horas deste sábado (3). Durante a transferência dos pacientes, três pessoas morreram.

O local é responsável pela triagem e recebimento de pacientes em situação de urgência clínica. Os casos de trauma são encaminhados para o Hospital, que é referência na região.

De acordo com informações preliminares, as chamas tiveram início na parte elétrica do segundo andar da CER, onde funcionavam o refeitório e a área de descanso para as equipes médicas. Motivo pelo qual, segundo testemunhas, foi possível retirar todos os pacientes a tempo.

“Se o fogo tivesse começado por baixo, tinha morrido todo mundo, pois não daria tempo pra gente entrar”, disse uma enfermeira ao monopólio de imprensa.

A transferência de pacientes provocou três mortes. Os idosos, segundo informações, estavam em estado grave e morreram com o desligamento dos aparelhos.

“Um caso era muito grave. Tinha poucos recursos terapêuticos. Os outros, desligaram as máquinas, e na transferência vieram a óbito”, disse, sem nenhum constrangimento, o prefeito Marcelo Crivella em entrevista à imprensa.

Na noite deste domingo, 4, a morte de mais um paciente foi confirmada. Não há informações mais claras sobre o óbito.

O incêndio ocorre em meio a uma grave crise no sistema de saúde, com salários atrasados de funcionários e uma série de greves. Funcionários atribuem à falta de manutenção e descaso da prefeitura a eventual causa do incêndio.

“Aqui está todo mundo com dois meses de salários atrasados, hospital sem manutenção. A tomografia do Lourenço Jorge ficou quebrada por mais de um ano, agora você imagina todo mundo que estava na UPA, superlotada, no hospital, que também está sem recursos? Isso é um absurdo!” denunciou uma profissional da unidade que não quis se identificar. Segundo ela, em entrevista ao G1, a prefeitura está ameaçando demitir alguns funcionários mais ativos na greve.

O Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (SinMed/RJ) utilizou as redes sociais pra denunciar a iminência de outras tragédias semelhantes dado o anúncio do corte de verbas na saúde de 725 milhões de reais. "Trata-se da consequência, nua e crua do desmonte da saúde pública operado pela prefeitura do Rio de Janeiro", declararam a respeito do incêndio.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja