83 anos do Levante Popular Armado de 1935

A- A A+

Revoltosos quando saíam presos do 3º Regimento de Infantaria da Praia Vermelha

23 de novembro de 1935 – Instaurou-se nesse dia o primeiro governo popular revolucionário da história do país por meio do Levante Popular Armado de 1935.

A sublevação dos soldados, cabos e sargentos do 21º Batalhão de Caçadores em Natal, no Rio Grande do Norte, foi a primeira de um conjunto de gloriosas revoltas que conformaram o levante, tudo sob a bandeira da Aliança de Nacional Libertadora (ANL) dirigida pelo Partido Comunista do Brasil (P.C.B).

As rebeliões conquistaram rapidamente o apoio das massas populares, que uniram-se aos rebelados durante os quatro dias do Levante. 

Após combates violentíssimos, os revolucionários são derrotados por insuficiências. Dentre elas, o fato de não ter mobilizado, organizado amplamente o campesinato (inclusive militarmente) subestimando sua força, e o fato de ter superestimado o apoio dos praças dentro das fileiras das Forças Armadas. Ao seu fim, praticamente toda a direção do P.C.B é presa, além de figuras históricas como os comunistas internacionalistas Arthur Ewert (nome de guerra: Harry Berger) e Olga Benário, que foram assassinados depois dos acontecimentos.

Segundo o Núcleo de Estudos do Marxismo-Leninismo-Maoismo, apesar da derrota, o Levante Popular Armado de 1935 contribuiu de maneira inestimável para a Revolução Brasileira, pois expressou, pela primeira vez na história do país, o verdadeiro caminho para a conquista do poder e libertação das massas populares: o abandono das ilusões constitucionais a luta armada revolucionária sob a direção do Partido Comunista.

NÃO SAIA AINDA… O jornal A Nova Democracia, nos seus mais de 18 anos de existência, manteve sua independência inalterada, denunciando e desmascarando o governo reacionário de FHC, oportunista do PT e agora, mais do que nunca, fazendo-o em meio à instauração do governo militar de fato surgido do golpe militar em curso, que através de uma análise científica prevíamos desde 2017.

Em todo esse tempo lutamos e trouxemos às claras as entranhas e maquinações do velho Estado brasileiro e das suas classes dominantes lacaias do imperialismo, em particular a atuação vil do latifúndio em nosso país.

Nunca recebemos um centavo de bancos ou partidos eleitoreiros. Todo nosso financiamento sempre partiu do apoio de nossos leitores, colaboradores e entusiastas da imprensa popular e democrática. Nesse contexto em que as lutas populares tendem a tomar novas proporções é mais do que nunca necessário e decisivo o seu apoio.

Se você acredita na Revolução Brasileira, apoie a imprensa que a ela serve - Clique Aqui

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: [email protected]

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Matheus Magioli Cossa

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas (In memoriam)
Fausto Arruda
José Maria Galhasi de Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Matheus Magioli Cossa
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond

Redação 
Matheus Magioli Cossa
Ana Lúcia Nunes
Matheus Magioli
Rodrigo Duarte Baptista
Vinícios Oliveira