PA: Tembé avançam na luta pela defesa de suas terras e expulsam madeireiros

A- A A+
Pin It

Aproximadamente 100 índios da aldeia Tekohaw oriundos da etnia Tembé impediram invasões e expulsaram madeireiros que desmatavam seu território na Reserva Indígena Alto Rio Guamá que alcança os municípios de Santa Luzia, Nova Esperança do Piriá e Paragominas, distantes cerca de 300 quilômetros da capital paraense. Os indígenas apreenderam tratores e alguns funcionários que realizavam a derrubada da floresta, sendo estes liberados pouco tempo depois, sem ferimentos.

Segundo os indígenas, há muito tempo estão sendo realizadas denúncias formais a todos os órgãos do velho Estado, inclusive a Funai, mas não houve resposta para as invasões que estão se tornando cada vez mais frequentes. Somente após a apreensão de dois caminhões, dois tratores e demais ferramentas dos madeireiros foi agendada uma reunião pelo Ministério Público Federal e Secretaria Municipal de Meio Ambiente com os indígenas.

As lideranças indígenas mencionam ainda que não foi definido nenhum plano de ação efetivo pelos órgãos do velho Estado para defesa das terras indígenas, expulsão definitiva dos madeireiros e combate a grilagem de terras (algo recorrente em todo interior do Pará) e tampouco para retirada e destruição das máquinas.

O histórico de conflitos por terras e territórios no sul e sudeste paraense aponta que a resposta dos latifundiários e grileiros é sempre violenta; cientes disso, os indígenas já se preparam para uma nova invasão armada para resgate dos maquinários e ferramentas por parte dos latifundiários. Dias após a apreensão das máquinas, os indígenas expulsaram novamente outros madeireiros invasores em outro local da Reserva Indígena. Há suspeitas da ocorrência de uma morte, mas ainda não foi confirmado. Desde o dia 23/11 a energia elétrica da aldeia Tekohaw foi cortada.

De acordo com trabalhadores do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará, que atuam no sudeste paraense, todos estão envolvidos na luta pela defesa da aldeia. “Até agora não veio policiamento nenhum. Como não veio, eles estão indo para a mata para tentar impedir que os madeireiros venham atacar a aldeia. Precisa que esse policiamento chegue aqui para que eles possam sair da mata. São muito jovens, sem experiência, mas são os que estão aqui. Até as mulheres do Tekohaw foram para dentro da mata para tentar apoiar a luta lá.”, afirma. Mesmo diante do iminente confronto a Polícia Militar do Pará ainda está “avaliando” o envio de reforço para a área.

Edição impressa

Endereços

Jornal A Nova Democracia
Editora Aimberê

Rua Gal. Almério de Moura 302/4º andar
São Cristóvão - Rio de Janeiro - RJ
Tel.: (21) 2256-6303
E-mail: anovademocracia@gmail.com

Comitê de apoio em Belo Horizonte
Rua Tamoios nº 900 sala 7
Tel.: (31) 3656-0850

Comitê de Apoio em São Paulo
Rua Silveira Martins 133 conj. 22 - Centro
Reuniões semanais de apoiadores
toda segunda-feira, às 18:45

Seja um apoiador você também!

Expediente

Diretor Geral 
Fausto Arruda

Editor-chefe 
Mário Lúcio de Paula
Jornalista Profissional
14332/MG

Conselho Editorial 
Alípio de Freitas
Fausto Arruda
José Maria Oliveira
José Ramos Tinhorão 
José Ricardo Prieto
Henrique Júdice
Hugo RC Souza
Mário Lúcio de Paula
Matheus Magioli
Montezuma Cruz
Paulo Amaral 
Rosana Bond
Sebastião Rodrigues
Vera Malaguti Batista

Redação 
Ellan Lustosa
Mário Lúcio de Paula
Patrick Granja