PA: Professor e sindicalista são perseguidos após denunciar grande mineração

O prefeito de Conceição do Araguaia, sul do Pará, denunciou um professor da UEPA e um destacado sindicalista pelas denúncias feitas contra a grande mineração na cidade e os efeitos sobre os camponeses pobres.

PA: Professor e sindicalista são perseguidos após denunciar grande mineração

O prefeito de Conceição do Araguaia, sul do Pará, denunciou um professor da UEPA e um destacado sindicalista pelas denúncias feitas contra a grande mineração na cidade e os efeitos sobre os camponeses pobres.
Print Friendly, PDF & Email

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais da Agricultura Familiar de Conceição do Araguaia, Francisco Chagas, e o professor da Universidade Estadual do Pará, Sandoval Amparo, foram denunciados no dia 21 de janeiro pelo prefeito da cidade junto à polícia civil em um processo de perseguição política após denúncias feitas ao Portal Amazônia acerca das atividades da grande mineração no estado.

Desde o ano de 2010, famílias de camponeses de Projetos de Assentamentos (PAs) do município de Conceição do Araguaia, situado no sul do Pará, denunciam a perda territórios conquistados na luta pela terra nos últimos 40 anos e de problemas ambientais causados pela empresa mineradora Horizonte Minerals. Apesar das reclamações de mais de uma década, o prefeito e vereadores vêm depositando apoios irrestritos à grande mineradora e criando facilidades para implantação do empreendimento sem levar em consideração os grandes prejuízos que causarão às famílias de camponeses que vivem às proximidades da área a ser minerada. 

Durante este período, professores da Universidade Estadual do Pará (UEPA) e movimentos populares promoveram muitas reuniões, debates e seminários como parte das mobiliuzações contra a implantação do empreendimento minerário.

Recentemente, a empresa Horizonte Minerals suspendeu as atividades de implantação do projeto alegando questões financeiras. A instituição de jornalismo Portal Amazônia publicou uma matéria sobre a questão. Várias pessoas da sociedade local foram entrevistadas, entres elas, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais da Agricultura Familiar de Conceição do Araguaia, Francisco Chagas. 

O prefeito, segundo sua advogada, se sentiu ofendido com o que teria dito o sindicalista para a reportagem sobre possíveis relações entre administradores da empresa e o administrador público no que condiz às dificuldades financeiras da empresa. O prefeito teria também se incomodado pelo professor Sandoval Amparo, da UEPA, ter compartilhado nas redes sociais o “Por que a mineradora Horizonte Minerals deixou o Pará?”. Como desdobramento, tanto o professor quanto o sindicalista foram intimados a prestarem depoimento para esclarecimentos do que relatou a denunciante. 

Se trata de uma situação autoritária e intimidatória de tentar calar todo e qualquer cidadão que se manifeste diante dos absurdos que grandes empresas, latifundiários e o velho Estado, em conluio, busquem impor contra os direitos legítimos do povo.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: