PA: Quinze policiais presos pela Chacina de Pau D’Arco

PA: Quinze policiais presos pela Chacina de Pau D’Arco

Print Friendly, PDF & Email

Quinze policiais que participaram da Chacina de Pau D’Arco foram presos preventivamente no dia 26 de setembro no estado do Pará. As detenções ocorreram em Belém e em Redenção.

O pedido de prisão dos policiais foi resultado da luta dos camponeses que permanecem ocupando a fazenda Santa Lúcia, sob a bandeira vermelha da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) do Pará e Tocantins, resistindo as ameaças de morte de latifundiários e de policiais da região. A campanha nacional de denúncia deste crime do velho Estado também cumpriu um importante papel na luta das famílias por verem os mandantes e os executores dos seus parentes condenados.

Os policiais – dois civis e 13 militares – são acusados pelo Ministério Público do estado do Pará pelos crimes de constituição de milícia privada, homicídio qualificado, tortura e fraude processual. O investigador da Polícia Civil, Raimundo Nonato de Oliveira Lopes, e o delegado da Delegacia Especializada em Conflitos Agrários (Deca) de Redenção, Valdivino Miranda da Silva Junior, que comandou a Chacina que resultou em dez camponeses assassinados, também foram acusados por estes crimes, mas não tiveram a sua prisão preventiva decretada por terem fornecido informações (“delação premiada”) para as investigações em curso.

Segundo as investigações, os policiais estabeleceram um “pacto” para defender a versão do confronto com os camponeses no dia 24 de maio na fazenda Santa Lúcia, no município de Pau D’Arco, e com isso saírem impunes. O “pacto” tenebroso foi selado com o assassinato dos camponeses Oseir Rodrigues da Silva e Wedson Pereira da Silva.

Os denunciados pela Chacina de Pau D’Arco são Adivone Vitorino da Silva, Carlos Kened Gonçalves de Souza, Cristiano Fernando da Silva, Douglas Eduardo da Silva Luz, Euclides da Silva Lima Junior, Francisco Ragau Cipriano de Almeida, Jonatas Pereira e Silva, Neuily Sousa da Silva, Orlando Cunha de Sousa, Ricardo Moreira da Costa Dutra, Rodrigo Matias de Souza, Rômulo Neves de Azevedo, Ronaldo Silva Lima, Uilson Alves da Silva e Welinton da Silva Lira.

Foto de Mario Campagnani/Justiça Global

COBERTURA DE AND SOBRE A CHACINA DE PAU D’ARCO

Leia mais sobre Pau D’Arco nas páginas de AND:

Laudos comprovam execução dos camponeses

PA: Polícia do latifúndio assassina 10 camponeses

Chacina de Pau D’Arco: crime de Estado e resistência camponesa no sul do Pará

Chacina de Pau D’Arco: ‘A FETRAF traiu os camponeses’

PA: Luta pela terra avança em Pau D’Arco

PA: ‘Assassinatos não vão parar a luta pela terra!’

AND lança documentário sobre Chacina de Pau D’Arco

PA: Ataques do latifúndio prosseguem após chacina

‘Chacina de Pau D’Arco no Pará é crime de Estado!’ (Liga dos Camponeses Pobres)

 

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: