Paraguai: Camponeses protestam contra despejo brutal de terra

Paraguai: Camponeses protestam contra despejo brutal de terra

Print Friendly, PDF & Email

Camponeses protestam contra despejo violento em Zavala Cué. Foto: Reprodução

Camponeses paraguaios se manifestaram no dia 29 de junho em frente ao ministério do interior, na capital, Assunção, para rechaçar o recentes despejo violento de camponeses em Zavala Cué. O protesto também exigiu a liberdade dos presos políticos e também a revogação da Lei Riera-Zavala, que aumenta a pena para “invasões de propriedade privada”.

Exigindo terra a quem nela vive e trabalha, os camponeses marcharam para bloquear a Rua Chile, quando foram reprimidos pela Polícia Nacional paraguaia. A Polícia não conseguiu impedir o bloqueio da rua.

Despejo violento em Zavala Cué

No dia 28/06, camponeses resistiram bravamente a um despejo realizado em um latifúndio monocultor de soja por mais de 500 policiais e forças especiais fortemente armados a pé, montados a cavalo. A operação contou ainda com um helicóptero e os policiais reprimiram de maneira brutal não apenas os camponeses que naquela terra se encontravam, mas contra camponeses de toda a região do distrito de Tembiaporã, em Caaguazú.

Como resultado da operação de guerra, há vários camponeses feridos e espancados e dez detidos pela polícia, sendo nove mulheres. Além das torturas e espancamentos, os poucos pertences dos camponeses foram roubados pela polícia.

 

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: