PE: Manifestantes queimam bandeiras ianque e sionistas e atacam consulado do USA em protesto pró-palestina

Consulado norte-americano em Recife foi atingido com tinta vermelha enquanto ativistas queimavam bandeiras ianques e sionistas.

PE: Manifestantes queimam bandeiras ianque e sionistas e atacam consulado do USA em protesto pró-palestina

Consulado norte-americano em Recife foi atingido com tinta vermelha enquanto ativistas queimavam bandeiras ianques e sionistas.
Print Friendly, PDF & Email

O Consulado do Estados Unidos em Recife foi atingido com bombas de tinta vermelha durante uma manifestação no dia 26 de fevereiro, em que centenas de pessoas expressaram sua solidariedade à Heroica Resistência Palestina no centro da capital pernambucana. Na mesma ação, bandeiras ianques e sionistas também foram incendiadas pelos presentes, que gritavam Morte! Morte! Ao imperialismo! e Ianques! Go home!.

A manifestação foi iniciada na Praça do Derby por volta das 16h00, e começou o caminho rumo ao Consulado ianque uma hora depois. O protesto contou com diversas forças populares democráticas, incluindo o Coletivo Mangue Vermelho e o Movimento Ventania.

No caminho ao consulado, um ativista do Mangue Vermelho pontuou em uma fala no carro de som a necessidade de defender a Resistência Nacional Palestina e saudou as inúmeras ações em solidariedade a ela no mundo, que pressionaram expressos “inimigos do povo”, como o mandatário brasileiro Luiz Inácio, a criticar os crimes de Israel. A caminho do Consulado ianque, os manifestantes gritaram palavras de ordem como: Fora de Gaza, Israel fascista! Fora Ianques, da América Latina, Luta palestina, nenhum passo atrás! Viva a resistência, todo apoio ao Hamas!, Juventude do Iêmen e Palestina, sua luta continua na América Latina e Chega de chacina, da PM na favela e de Israel na Palestina. 

Ao final da manifestação, os ativistas realizaram o ato de profundo conteúdo anti-imperialista em frente ao prédio do consulado norte-americano. Durante a ação, os manifestantes notaram que o vidro do prédio ianque já estava quebrado por episódios anteriores. A manifestação dispersou por volta das 19h.  

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: