PF deve concluir inquérito contra Bolsonaro e generais em agosto

Apesar de sobrarem elementos que comprovem envolvimento de Bolsonaro, Braga Netto e Augusto Heleno em plano golpista, PF não pedirá prisão de nenhum deles.

PF deve concluir inquérito contra Bolsonaro e generais em agosto

Apesar de sobrarem elementos que comprovem envolvimento de Bolsonaro, Braga Netto e Augusto Heleno em plano golpista, PF não pedirá prisão de nenhum deles.
Print Friendly, PDF & Email

A Polícia Federal está próxima de finalizar o inquérito que indiciará Jair Bolsonaro, generais e ex-ministros militares na tentativa de golpe de Estado. Além disso, também no dia de hoje foi realizada a 28ª fase da Operação Lesa Pátria cujos alvos são os financiadores e mentores intelectuais da invasão da sede dos três poderes em 8 de janeiro de 2023.

No início do mês de junho, a PF já havia realizado uma operação no objetivo de localizar centenas de foragidos da justiça. Em resposta à solicitação do governo brasileiro, o ultrarreacionário Javier Milei enviou uma lista com 62 nomes de brasileiros envolvidos nos episódios de 8 de janeiro do ano passado.

Bolsonaro e generais serão indiciados em agosto

A PF está próxima de concluir o inquérito que tem Jair Bolsonaro como alvo por envolvimento nos atos do dia 8 de janeiro de 2023. O monopólio de imprensa CNN Brasil teve acesso à fontes da PF que garantiram que há também elementos para indiciar o general Braga Netto e outros altos comandantes militares, como Augusto Heleno e Paulo Sérgio Nogueira.

Segundo informações e imagens obtidas pela PF, Bolsonaro discutiu o conteúdo de uma minuta de golpe com seus assessores e também com militares. O capitão genocida teria pedido ajustes no documento e, na sequência, tentou convencer generais e comandantes das Forças Armadas a darem um golpe de Estado.

Ex-ministro da Defesa e ex-candidato a vice presidente na chapa de Bolsonaro, Braga Netto xingou o então comandante do Exército, general Freire Gomes, que não teria concordado com o apoio à estrategia bolsonarista. Outros generais envolvidos que devem ser indicados são Paulo Sérgio Nogueira, ex-ministro da Defesa, e Augusto Heleno, ex-chefe do GSI, que reuniu-se com Bolsonaro para traçar estratégias de mantê-lo no poder.

Nesta fase final, a PF está debruçada em torno de organizar uma cadeia de acontecimentos para relacionar outros casos de crimes cometidos por Bolsonaro e por militares, dentre eles a venda ilegal de joias e a fraude no cartão de vacina.

Porém, ainda que sobrem elementos comprovando o envolvimento de todos estes em crimes eleitorais que se relacionavam com o questionamento às urnas e o fomento à um golpe de Estado, a PF não deve pedir a prisão de nenhum dos indiciados.

27 mandados cumpridos pela PF

Hoje também foi realizada uma nova fase da operação Lesa Pátria. A PF cumpriu na manhã de hoje um total de 27 mandados judiciais autorizados pelo STF no objetivo de identificar os financiadores e mentores intelectuais dos atos golpistas do 8 de janeiro de 2023 em Brasília. Dos 27, 15 são mandados de busca e apreensão e 12 de busca pessoal. Eles foram cumpridos em Goiás, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. Todos os envolvidos são investigados pelos crimes de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

É a segunda ação da PF no mês de junho. No início do mês, foram cumpridos mandados de prisão preventiva contra 208 condenados ou investigados que são considerados foragidos ou apresentam risco de fuga. Sobre eles, a PF afirmou que “Mais de duas centenas de réus, deliberadamente, descumpriram medidas cautelares judiciais ou ainda fugiram para outros países, com o objeitov de se furtarem da aplicação da lei penal.”

Aponta-se que o destino preferencial deles foi a Argentina de Javier Milei. O ultrarreacionário, porém, negou haver firmado um acordo com Jair Bolsonaro par assegurar asilo político aos brasileiros. Após o governo brasileiro solicitar informações sobre a situação de 143 foragidos, o Itamaraty recebeu, no dia de hoje, um documento do governo da Argentina com uma lista de 62 brasileiros, além da informação de que 13 deles já sairam da Argentina e um teve a entrada recusada.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: