Povos indígenas protestam em todo o país contra governo Bolsonaro

Povos indígenas protestam em todo o país contra governo Bolsonaro

Print Friendly, PDF & Email

Indígenas bloqueiam BR-386 em Santa Catarina.

Em pelo menos 22 estados, além do Distrito Federal, os povos indígenas tomaram as ruas em protestos contra as políticas latifundiárias do governo Bolsonaro, no dia 31 de janeiro.

A Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), que participou ativamente dos protestos, afirmou que a principal reivindicação dos povos era revogar e impedir todas as maquinações políticas do governo Bolsonaro que deram aos latifundiários o controle dos já precários órgãos responsáveis pela questão da demarcação de terras e de apoio aos indígenas. Segundo a Apib, ocorreram também manifestações internacionais de solidariedade aos povos indígenas do Brasil em países como Estados Unidos, Inglaterra e Suíça, entre outros.

Segundo o portal Amazônia Notícias e Informações, “importantes rodovias foram bloqueadas temporariamente no interior do país, como a BR-101 na Bahia e a BR-386 em Santa Catarina”, como parte dos protestos indígenas.

Em São Paulo, massas da cidade e indígenas do campo reuniram-se numa manifestação com cerca de 4 mil pessoas. Semelhante manifestações ocorreram em diversas capitais do país, como em Porto Velho, Rondônia, acompanhada de perto pelo Comitê de Apoio de AND daquela cidade.

O portal Amazônia Notícias e Informações noticiou também que em centenas de pequenas cidades e vilarejos, manifestações, atos e até tradicionais rituais indígenas ocorreram em conjunto com a campanha de caráter nacional. O povo Kisedje postou na internet um vídeo de sua manifestação com discursos de seus anciãos em português e na sua língua e de acordo com suas tradições. No combativo vídeo o povo Kisedje aparece com pinturas de guerra, os homens com porretes e arcos, e as mulheres com facões.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: