RJ: Celebração da Grande Revolução Socialista de Outubro reúne mais de 100 pessoas

RJ: Celebração da Grande Revolução Socialista de Outubro reúne mais de 100 pessoas

Print Friendly, PDF & Email

Ocorreu, no dia 10 de novembro, o Ato Político-Cultural em celebração do centenário da Grande Revolução Socialista de Outubro na cidade do Rio de Janeiro.

Convocado pela Frente Revolucionária de Defesa dos Direitos do Povo (FRDDP), a celebração ocorreu no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da UFRJ, no centro da cidade. Aproximadamente 100 pessoas compareceram ao evento e vibraram com o centenário deste marco transcendental da história da humanidade.

O ato iniciou-se com o canto solene de A Internacional, o Hino do proletariado e do seu Partido. Depois foram convidados à mesa um representante da FRDDP e um do jornal A Nova Democracia.

intervenções

O companheiro de AND fez uma ampla e profunda abordagem cronológica dos fatos que antecederam a Grande Revolução Socialista de Outubro, desde os atentados dos grupos terroristas no fim do século XVIII, passando pela fundação do Partido Operário Social-Democrata da Rússia (POSDR), pelas divisões no seu seio e o papel do grande Lenin, a Revolução de 1905 e seu temporário fracasso, a luta contra os oportunistas e empiriocriticistas, até chegar na Revolução de Fevereiro e logo os preparativos que culminaram na insurreição vitoriosa de Outubro, a Guerra Civil Revolucionária que seguiu-se até a consolidação do Poder vermelho em toda a Rússia e a expulsão dos imperialistas, em 1922.

O representante da FRDDP interviu em seguida ressaltando os aspectos ideológico-políticos principais que precipitaram o triunfo da primeira revolução proletária da história da humanidade. Dentre eles, a existência de um partido revolucionário do proletariado oposto aos velhos partidos da burguesia, incluídos os aglutinados em torno da II Internacional; um partido de novo tipo, clandestino e composto pelos melhores filhos do povo que encarnam a ideologia do proletariado, compreendam as leis sociais e da luta de classes e se forjem na luta de classes como militantes de ferro para dirigir as massas à Revolução, no caminho do luminoso comunismo.

Também destacou a importância do combate ao oportunismo, luta que esteve presente durante todo o processo da Revolução, inclusive às vésperas contra os mencheviques e socialistas-revolucionários unidos à burguesia imperialista russa. Outro aspecto, apontou, foi a aliança operário-camponesa estabelecida pelo Partido do proletariado e que Lenin soube compreender ser de caráter estratégico.

Interviram ainda o Movimento Feminino Popular (MFP) destacando o papel de algumas heroínas do povo na Revolução Russa e na Grande Guerra Patriótica que esmagou a besta nazifascista. O Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) que destacou o papel da juventude naquela Revolução, especialmente na Grande Guerra Patriótica. A Unidade Vermelha – Liga da Juventude Revolucionária (UV-LJR) que destacou a importância de a juventude lançar-se às massas, como fizera os jovens soviéticos na construção do socialismo, para que no Brasil triunfe a Revolução de Nova Democracia.

Também interviu a Associação Brasileira dos Advogados do Povo (Abrapo) saudando o evento e a importância histórica da Grande Revolução Socialista de Outubro.

Atrações culturais

O ato contou ainda com apresentações culturais produzida pela juventude da UV-LRJ e MEPR.

Ativistas da UV-LRJ apresentaram uma peça que esmiuçava as posições dos principais dirigentes do Partido bolchevique naqueles idos. Encenando reuniões do Comitê Central do Partido e agitações para as massas, os ativistas encenaram didaticamente a luta de duas linhas travadas pelo grande Lenin e pelo camarada Stalin contra Trotsky, Zinoviev e Kamenev, misturando a seriedade do tema com um toque de humor.

Os ativistas do MEPR apresentaram um coral. As canções revolucionárias Jovem guardaFora o Poder foram cantadas com todo o entusiasmo que inspiram, seguidas de aplausos.

Ao final foi cantada a canção revolucionária Bela Ciao por toda a plenária, encerrando a celebração.

Peça teatral produzida pela UV-LRJ aborda os antecedentes da insurreição de Outubro.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: