RJ: Derrotando ‘justiça’, enfermeiros garantem direito à greve e prosseguem luta

No dia 15 de março, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem do Rio de Janeiro voltaram a protestar em defesa do piso salarial como parte da Greve Nacional da categoria.

RJ: Derrotando ‘justiça’, enfermeiros garantem direito à greve e prosseguem luta

No dia 15 de março, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem do Rio de Janeiro voltaram a protestar em defesa do piso salarial como parte da Greve Nacional da categoria.
Print Friendly, PDF & Email

No dia 15 de março, enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem do Rio de Janeiro voltaram a protestar em defesa do piso salarial como parte da Greve dos enfermeiros, em curso em todo o país. O ato teve sua concentração em frente ao Hospital Federal Cardoso Fontes, em Jacarepaguá, zona oeste do Rio de Janeiro.

Durante toda a manifestação ficou expressa a combatividade dos grevistas, que desceram a serra fechando as ruas e entoando palavras de ordem em defesa do piso salarial, contra as instituições do velho Estado que não atendem às demandas da categoria, e contra os grandes monopólios da saúde privada.

Enfermeiros durante manifestação em Jacarépagua no dia 15/03. Foto: Reprodução

Massividade no ato é fruto da conquista da luta!

O ato dos enfermeiros no dia 15/03 teve uma presença massiva dos trabalhadores, após ter uma vitória parcial em sua luta. Derrotando a posição anti-greve do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ), a categoria garantiu que pudessem participar do ato um número maior de trabalhadores: 70% dos CLTistas e 40% dos funcionários da rede privada, das Organizações Sociais de Saúde e da Rio Saúde fossem liberados para participar da greve.

Vale lembrar que a “justiça” do velho Estado havia limitado o direito à greve, em grande desrespeito ao direito histórico dos trabalhadores. O TRT-RJ havia determinado que somente 20% dos trabalhadores da enfermagem participassem. Foi no ato do dia 13/03 que os trabalhadores impuseram uma derrota e conseguiram garantir a massividade de sua greve no Rio.

A elevação do número de presentes na manifestação do dia 15/03 é fruto direto da luta combativa dos enfermeiros, que garantiu a vitória e mobilizou ainda mais trabalhadores nas ruas. Essa luta se refletiu não só na quantidade de trabalhadores presentes na manifestação, mas também na disposição e ânimo de luta das massas.

Como encerramento da manifestação, em alto espírito combativo, foi aprovado por unanimidade o prosseguimento da greve e o calendário de luta da próxima semana, sendo marcado um ato no TRT para o dia 17/03 às 8h e outro para o dia 28/03 no Hospital do Andaraí. 

Comitê de Apoio divulga a imprensa popular aos trabalhadores

No ato do dia 13/03 uma técnica de enfermagem relatou ao Comitê de Apoio ao AND que era a única de sua unidade de trabalho a ser liberada para participar da greve e que fez questão de participar para representar seus colegas.

Já na última manifestação, do dia 15/03, ao reencontrar os brigadistas, a trabalhadora expressou a grande felicidade que sentia por mais quatro funcionários de seu local de trabalho terem sido liberados para comparecer. A trabalhadora afirmou que está em curso uma luta para aumentar ainda mais esse número.

O Comitê de Apoio ao AND realizou uma vigorosa brigada vendendo mais de 50 exemplares, mostrando a grande receptividade dos trabalhadores ao jornal.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: