RJ: Em protesto, familiares, ativistas e amigos exigem liberdade imediata para trabalhador preso arbitrariamente

No dia 23 de agosto, às 18h, familiares, amigos e vizinhos do trabalhador Diego Felipe, preso injustamente pela Polícia Militar (PM), protestaram no Complexo da Maré exigindo a sua libertação imediata.
Manifestação contra a prisão arbitrária de trabalhador percorre a Avenida Brasil. Foto: Banco de dados AND
Manifestação contra a prisão arbitrária de trabalhador percorre a Avenida Brasil. Foto: Banco de dados AND

RJ: Em protesto, familiares, ativistas e amigos exigem liberdade imediata para trabalhador preso arbitrariamente

No dia 23 de agosto, às 18h, familiares, amigos e vizinhos do trabalhador Diego Felipe, preso injustamente pela Polícia Militar (PM), protestaram no Complexo da Maré exigindo a sua libertação imediata.
Print Friendly, PDF & Email

No dia 23 de agosto, às 18h, familiares, amigos e vizinhos do trabalhador Diego Felipe, preso arbitrariamente pela Polícia Militar (PM), protestaram no Complexo da Maré exigindo a sua libertação imediata. Diego se encontra desde julho preso, acusado injustamente de transportar um fuzil desmontado, que estava com o passageiro que Diego transportava.

A manifestação ocorreu na Entrada da Teixeira, na favela da Nova Hollanda, e percorreu a Avenida Brasil, uma das mais importantes vias da capital.

Os familiares denunciaram a prisão arbitrária e injusta do trabalhador de forma incansável. Além disso, também denunciam violações de direitos, afirmando que desde que Diego foi preso, não foi permitido que nenhum familiar lhe fizesse visitas, inclusive de seus filhos durante o dia dos pais.

A presidente do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo) denunciou, no protesto, a prisão de Diego Felipe: “Se fosse no Leblon, se fosse uma pessoa rica, não estaria na cadeia, teria uma presunção de inocência”, e concluiu: “o que existe aqui é a criminalização de todo o povo pobre”, afirmando que “Nós não vamos deixar que isso aconteça. Porque nós estamos aqui, em várias entidades, apoiando os familiares, apoiando todos aqueles que hoje sofre injustiça nesse país. Um dia o Brasil vai se livrar de toda essa canalha que quer tranformar nosso país numa imensa prisão, ou num cemitério. Abaixo a prisão do companheiro Diego! Diego é trabalhador!”.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: