RJ: Sem-teto denunciam incêndio e agressões da Guarda Municipal

RJ: Sem-teto denunciam incêndio e agressões da Guarda Municipal

Print Friendly, PDF & Email

Casal sem-teto teve seu barraco e pertences queimados em ação criminosa

Um casal de moradores de rua teve seus pertences incendiados durante operação da Guarda Municipal no bairro de Ramos, Zona Norte do Rio de Janeiro, no dia 31 de junho.
Ernani Inácio e Sandra Amaro que vivem há cerca de dois anos na localidade, denunciaram também que foram agredidos pelos guardas e que junto de seus pertences queimados, o gato que criavam morreu carbonizado.

 Eram cerca de oito homens da Guarda. Chegaram e mandaram tirar o que eu queria. Retirei o botijão e, quando voltei para pegar o restante, já estava tudo pegando fogo. Meu gato morreu queimado. Perdemos o que tínhamos, até os documentos – relatou Ernani, em entrevista ao monopólio de imprensa.

A esposa de Ernani, Sandra Amaro, grávida de dois meses, teve hematomas nos braços, resultado das agressões. Ernani é pedreiro, eletricista e bombeiro hidráulico, mas está desempregado e recolhe material para reciclagem para sobreviver.

Após o covarde ataque, moradores da região do entorno e o cantor Elymar Santos estiveram no local em solidariedade, levando doações e comida.

O cantor, que há anos organiza mutirões de solidariedade no bairro onde foi criado, também denunciou o histórico de agressões a que aqueles moradores são submetidos pela prefeitura:
 Não é a primeira vez que a Guarda Municipal vem e destrói a casa deles. Só que desta vez tacaram fogo – afirmou Elymar Santos em vídeo gravado. E concluiu:  Isso não pode passar assim.

Conforme denunciamos na edição nº 201 de AND, nos últimos anos, a quantidade de moradores de rua triplicou na cidade do Rio de Janeiro, atingindo mais de 15 mil pessoas, com base nos dados subestimados da Secretaria Municipal de Assistência Social que realiza o cálculo levando em conta apenas a ínfima minoria dos sem-teto que conseguem receber assistência da prefeitura.

Foto: Alexandre Cassiano

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: