RJ: Polícia Militar assassina idoso e jovem e fere criança durante operação na Maré

RJ: Polícia Militar assassina idoso e jovem e fere criança durante operação na Maré

Print Friendly, PDF & Email

Moradores carregam morador ferido durante a operação policial no Complexo da Maré. Foto: Reprodução

A Polícia Militar (PM) do estado do Rio de Janeiro assassinou um idoso de 70 anos, um homem de 31 e baleou uma criança durante uma operação no Complexo da Maré, na favela Nova Holanda, na tarde de 10 de novembro. A operação ocorreu às 16h, horário em que crianças e adolescentes saiam da escola e no mesmo momento em que acontecia uma festa para as crianças na comunidade.

Segundo o relato dos moradores, se iniciou junto da entrada de pelo menos dois blindados na comunidade, sob a alegação de que havia ocorrido um roubo de carga. O idoso assassinado pela PM foi alvejado com um tiro no peito, sentado em uma cadeira de um bar na comunidade. Não há mais informações sobre as outras vítimas. Relatos de moradores ao portal local Maré de Notícias Online também informam que um adolescente foi espancado por policiais ao sair da escola.

Idoso é assassinado com tiro no peito pela PM em operação no Complexo da Maré. Foto: Reprodução

No momento da operação, ocorria uma festa promovida por um artista  para as crianças na comunidade, com um telão na rua principal e brinquedos para as crianças.

O complexo da Maré, há menos de dois meses, foi alvo de outra operação sanguinolenta que também assassinou um jovem de 14 anos e um trabalhador de 53 anos. Naquela ocasião, foi afirmado por AND: “Tal operação é, na realidade, mais uma das expedições punitivas realizadas desenfreadamente pelas forças armadas reacionárias com o objetivo de levar terror à uma massa trabalhadora desarmada. Nessas operações rotineiras (como o Massacre da Penha, do Jacarezinho e do Alemão), o objetivo das forças policiais é levar terror para as massas trabalhadoras no objetivo de mantê-las sob um estado de choque, de cerco e de controle permanente, intimidando todos os moradores e evitando que se organizem para reivindicar seus direitos pisoteados.”

PM assassina e terrorista

Na madrugada do dia 11/10, menos de um dia após a operação na Maré, a PM já promovia operações em diversas favelas do estado, como no Complexo da Pedreira e Vila Aliança, no Rio de Janeiro, e no Complexo da Alma, no município de São Gonçalo. Vídeos compartilhados por moradores dão conta de alguns helicópteros sobrevoando e cercando as favelas no horário de saída para o trabalho dos moradores e atirando contra a comunidade. Também foram divulgadas imagens de caveirões circulando pelas favelas.

Nas redes sociais, um morador do Complexo da Alma relatou que os policiais invadiram a comunidade e, como consequência, as aulas nas escolas foram suspensas. Além disso, ele também denunciou que policiais estavam entrando dentro dos ônibus que circulam pela comunidade, colocando em risco os moradores.

Diantes dessas operações rotineiras, mascaradas de “combate ao tráfico de drogas”, que têm o objetivo de impor terrorismo e medo nas massas mais profundas do Rio de Janeiro, é inevitável que os moradores das favelas do Rio de Janeiro, jovens, trabalhadores, donas de casa, etc., em sua maioria pretos, se mobilizem e se organizem  não somente contra a situação permanente de pobreza e exploração, mas também contra a brutal violência policial a que estão submetidas.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: