RS: Moradores de São Sebastião do Caí protestam contra pedágios

No dia 02/03, mais de 100 moradores de São Sebastião de Caí protestaram contra a instalação de um pedágio na RS-122. A mobilização ocorreu após dois outros protestos com a mesma exigência.

RS: Moradores de São Sebastião do Caí protestam contra pedágios

No dia 02/03, mais de 100 moradores de São Sebastião de Caí protestaram contra a instalação de um pedágio na RS-122. A mobilização ocorreu após dois outros protestos com a mesma exigência.
Print Friendly, PDF & Email

No dia 2 de março, mais de 100 moradores de São Sebastião de Caí, zona metropolitana de Porto Alegre, bloquearam o km 4 da rodovia RS-122 contra a instalação de um pedágio que cobra preços abusivos para os moradores da cidade. Este é o terceiro protesto na região contra a instalação dos postos nas estradas, que têm a licitação da empresa Caminhos da Serra Gaúcha (CSG).

A concentração dos manifestantes começou pela manhã, às 9h. Um imenso aparato policial foi mobilizado para tentar intimidar os manifestantes. Em contraponto, motoristas que passavam pelo trajeto buzinaram com frequência em apoio à mobilização.

O pedágio, que começará a funcionar neste mês, tem o valor de R$ 12,30 nos dois sentidos, e sem isenção para a maioria da população da cidade, com exceção dos moradores de apenas 3 bairros do município mais próximos do pedágio. Para a região do Vale da Felicidade, onde a maioria das pessoas tem que se deslocar a trabalho para cidades grandes como Montenegro e Novo Hamburgo, o clima é de indignação e profunda desconfiança nas prefeituras e governo estadual. 

Em fevereiro, a população de Capela de Santana, cidade vizinha, bloqueou a rodovia em repúdio à instalação de outros pedágios da mesma empresa na região, citando os preços abusivos que muitos moradores simplesmente não têm condição de pagar. Em setembro do ano passado, outro protesto ocorreu em Portão.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: