Sindicato Marreta: ‘Viva o 30 de julho! Viva os levantes operários de 1979! Orocílio, presente na luta!’

Sindicato Marreta: ‘Viva o 30 de julho! Viva os levantes operários de 1979! Orocílio, presente na luta!’

Print Friendly, PDF & Email

O Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil de Belo Horizonte e Região – Marreta (STIC-BH) lançou um novo boletim em comemoração sobre o Dia do Trabalhador da Construção Civil, celebrado no dia 30 de julho. O boletim retoma importantes jornadas de lutas operárias no Brasil e em Minas Gerais na década de 1960-70 e o processo de retomada do STIC-BH pela chapa Marreta. 

O documento é dividido em três capítulos, intitulados ‘Mão calejada rompe caminho’: Viva os levantes operários de 1979!, ‘O Sindicato agora é nosso!’ A retomada de 1988 e ‘Nós constrói, nós destrói!’ Viva a rebelião operária nas obras de Belo Horizonte e Região!. O boletim presta ainda uma homenagem ao companheiro Orocílio, operário assassinado covardemente pelas tropas de repressão no dia 30 de julho de 1979, durante a histórica greve.

Sobre a trajetória do sindicato desde então e a comemoração do dia 30 de julho, o documento afirma que “escolhendo o rumo da luta e não o da conciliação, retomamos o Sindicato em 30 de novembro de 1988, ponto fim mais de 24 anos de intervenção militar na entidade. Desde então, Companheiros, superando inúmeras dificuldades, a Marreta tem participado e apoiado as principais batalhas na luta de classes de nosso país, no campo e na cidade, no Brasil e no mundo. O 30 de julho que hoje celebramos, eleito o Dia do Trabalhador da Construção Civil, é para nós motivo de orgulho e serve de combustível ideológico para os futuros embates que vamos travar. De obra em obra no raiar do dia, das conversas no pé do ouvido, dos nossos Seminários, nasce, palmo a palmo, os novos e futuros levantes operários que chacoalharão Belo Horizonte e região!”

O documento pode ser acessado e lido aqui

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: