SP: Passageiros apoiam coletes dos metroviários contra a ‘reforma’ da Previdência

SP: Passageiros apoiam coletes dos metroviários contra a ‘reforma’ da Previdência

Print Friendly, PDF & Email

Foto: Reprodução/Esquerda Diário

Os metroviários de São Paulo – que encontram-se em campanha salarial e em estado de greve – têm chamado atenção da população por estarem usando coletes vermelhos contra a “reforma” da Previdência do governo Bolsonaro, tutelado pelo Alto Comando das Forças Armadas reacionárias. Este é um antigo método que a categoria usa para exigir seus direitos e os coletes estão escritos com as seguintes frases: Não à reforma da Previdência! Nenhum direito a menos! e Privatização mata! Contra a terceirização!

Tal atitude dos metroviários tem obtido amplo apoio nas estações e muitas pessoas pedem um colete para usar, o que demonstra o amplo rechaço popular à “reforma” da Previdência. Este apoio, segundo informações veiculadas em órgãos de imprensa de organização de trabalhadores, tem sido registrado não só nas dependências do Metrô, mas também nas redes sociais.

Na quarta-feira da semana passada, 17 de abril, o Metrô chegou a ameaçar, através das redes sociais, os funcionários que usam o colete. Porém, em luta, os metroviários  rechaçam as provocações da empresa, bem como da gerência estadual de Doria/PSDB, e continuam a conclamar apoio à sua causa.

Passageiros demonstram apoio à luta. Foto: Ricardo Senese/Redes Sociais

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: