Suíça: Trabalhadoras protestam e exigem paridade salarial

Suíça: Trabalhadoras protestam e exigem paridade salarial

Print Friendly, PDF & Email

Cerca de 20 mil pessoas protestaram em Berna, na Suíça, para exigir pagamento igualitário para trabalhos iguais entre homens e mulheres. As trabalhadoras marcharam nas ruas contra o “sexismo e discriminação” e alertaram que estão preparadas para entrar em greve se suas exigências não forem atendidas.

As manifestantes criticaram o fato de as mulheres ganharem em média um quinto a menos do que ganham os homens e por fazerem a maior parte do trabalho não remunerado. O protesto exigiu do parlamento que aumente a fiscalização contra as empresas que se utilizam da política de baixar o salário feminino para baixar despesas com salários e extrair o lucro máximo.

A Suíça tem uma forte tradição de luta feminina por seus direitos democráticos, ao passo que tem também significativas tradições reacionárias por parte do regime e dos sucessivos governos. O país foi o último da Europa a estender o sufrágio às mulheres – concedido apenas em 1971, depois de grandes protestos para a conquista deste direito.

Grupos maoistas, com a bandeira do movimento turco na Europa, Partizans, foram avistados na multidão.

No parlamento, há já uma lei desde 1996 que obriga a paridade salarial, não sendo, no entanto, efetiva na sua aplicação por conta do caráter burguês do seu Estado, pois é uma necessidade da sociedade burguesa – onde domina a burguesia – manter a mulher submetida a uma opressão sexual para manter baixo o salário necessário a ser pago para a reprodução da força de trabalho do proletariado e elevar o contingente do exército industrial de reserva, que também faz baixar o salário médio.

Ao longo das últimas duas décadas, o jornal A Nova Democracia tem se sustentado nos leitores operários, camponeses, estudantes e na intelectualidade progressista. Assim tem mantido inalterada sua linha editorial radicalmente antagônica à imprensa reacionária e vendida aos interesses das classes dominantes e do imperialismo.
Agora, mais do que nunca, AND precisa do seu apoio. Assine o nosso Catarse, de acordo com sua possibilidade, e receba em troca recompensas e vantagens exclusivas.

Quero apoiar mensalmente!

Temas relacionados:

Matérias recentes: