CPMI 8 de janeiro

CPMI 8/1 antecipa encerramento e blinda peças-chave do golpismo

Esvaziada tanto pela base governista quanto pela extrema-direita, a CPMI do 8 de janeiro terá seu fim um mês antes do previsto. Com a decisão, aprovada sob consenso dos participantes, a comissão será encerrada sem convocar peças-chave do golpismo, sobretudo generais.
Latifundiário conhecido como "Pai da Soja" de MT, e apontado como um dos financiadores de ações da extrema-direita no final de 2022, depõe na CPMI do 08/01 e fica em silêncio.
Em depoimento, Heleno optou por ficar calado frente aos questionamentos sobre sua presença em reuniões de Jair Bolsonaro com os comandantes das três forças depois da derrota eleitoral e também nos encontros com o hacker Walter Delgatti.
Em ofício assinado pelo ministro José Múcio no dia 1 de setembro, o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), subordinado ao Ministério da Defesa, afirmou não armazenar registros das câmeras de segurança do Palácio da Alvorada no período em que o hacker Wagner Delgatti afirmou ter se encontrado lá com o ex-gerente de turno Jair Bolsonaro.
Com mais de 12 horas de duração, tiveram início os “trabalhos” da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que diz investigar os episódios de 8 de janeiro.